background preloader

Popularização da Ciência

Facebook Twitter

Minha atuação na popularização da ciência parte do fundamento filosófico de que o conhecimento tem que ser um direito humano não alienável.

Utilizo nesta atuação uma noção básica: toda nossa capacidade de apreensão do conhecimento passa pelo cérebro emocional e sensorial antes de chegar ao racional. Crianças tem capacidade quase ilimitada de aprendizagem justamente porque trabalha desimpedido o cérebro lúdico, aprendem brincando. Essa a estratégia usada também, infelizmente no mau sentido, por marqueteiros para vender ideias e produtos, ataca o subconsciente emocional e com isso emplaca suas mensagens. É preciso despertar esse oceano de capacidade cognitiva dormente nos adultos. É preciso tornar a ciência leve, agradável, divertida, explorando significados profundos que toquem alma e espírito.

Antonio Donato Nobre. Antonio Donato Nobre: Há um rio sobre nós. Antonio Donato Nobre: The magic of the Amazon: A river that flows invisibly all around us. Amazônia, fé e ciência. Uma entrevista especial com o ecólogo Antonio Donato Nobre. O 6° Simpósio Internacional Religiío, Ciência e Meio Ambiente, cujo tema foi O Amazonas, Fonte de Vida, realizado em Manaus, em julho deste ano, teve diversas repercussões.

Amazônia, fé e ciência. Uma entrevista especial com o ecólogo Antonio Donato Nobre

Principalmente o diálogo entre religiío e ciência, protagonizado pelo teólogo ortodoxo grego Ioannis Zizioulas (ou João de Pérgamo, segundo seu título na hierarquia ortodoxa), e Antonio Donato Nobre, ecólogo do Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (Inpa). IHU On-Line conversou por telefone com Donato Nobre sobre o Simpósio e sobre seu debate com o teólogo grego. Para mais informações sobre o evento confira as notícias diárias anteriores nesta página. Ecólogo do Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (Inpa) Antonio Donato Nobre é pesquisador titular do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia e representante institucional no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

IHU On-Line- O que o senhor guarda de mais importante na mesa redonda com João de Pérgamo, sobre religiío e ciência? Quando a tecnociência vê um pixel mas ignora a paisagem. O conhecimento científico não pode cegar a complexa relação entre os inúmeros ecossistemas presentes no planeta.

Quando a tecnociência vê um pixel mas ignora a paisagem

“Tal abordagem gera soluções autistas que não se comunicam, tumores exuberantes cuja expansão danifica tudo que está em volta. Assim, a tecnociência olha o mundo com um microscópio grudado em seus olhos, vê pixel, mas ignora a paisagem”, afirma Antonio Donato Nobre, cientista do Centro de Ciência do Sistema Terrestre do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – CCST/Inpe. “A maior parte da agricultura tecnificada adotada pelo agronegócio é pobre em relação à complexidade natural. Ela elimina de saída a capacidade dos organismos manejados de interferir beneficamente no ambiente, introduzindo desequilíbrios e produzindo danos em muitos níveis”, analisa, em entrevista concedida por e-mail à IHU On-Line. Para Nobre, a saída não é abandonar a ciência e a tecnologia produtiva de alimentos, mas sim associá-las e integrá-las a sistemas complexos de vidas em ecossistemas do Planeta.

Quando a tecnociência vê um pixel mas ignora a paisagem. A agricultura convencional mata o solo. Entrevista especial com Antonio Donato Nobre. "Mais importante do que ser multidisciplinar é ser não-disciplinar, isto é, integrar e dissolver as "disciplinas" em um saber amplo e articulado, sem fronteiras artificiais e domínios de egos", afirma o cientista do CCST/Inpe.

Quando a tecnociência vê um pixel mas ignora a paisagem. A agricultura convencional mata o solo. Entrevista especial com Antonio Donato Nobre

O conhecimento científico não pode cegar a complexa relação entre os inúmeros ecossistemas presentes no planeta. “Tal abordagem gera soluções autistas que não se comunicam, tumores exuberantes cuja expansão danifica tudo que está em volta. Assim, a tecnociência olha o mundo com um microscópio grudado em seus olhos, vê pixel, mas ignora a paisagem”, afirma Antonio Donato Nobre, cientista do Centro de Ciência do Sistema Terrestre do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – CCST/Inpe.

Gisele Bündchen - Aprendendo muito com Antonio Nobre. Para... Life in Syntropy. Antonio Nobre defendeu que a tecnologia pode responder às indagações dos senadores. No Senado, a ciência brasileira foi chamada a contribuir de forma mais decisiva na produção do novo Código Florestal.

Antonio Nobre defendeu que a tecnologia pode responder às indagações dos senadores

Senadores e especialistas convidados para audiências lamentaram a falta de mapeamento detalhado, capaz de oferecer um retrato fiel da ocupação territorial – por exemplo, onde estão as propriedades rurais e o que de fato foi desmatado, qual o zoneamento agrícola e as áreas efetivamente preservadas. Não existem, tampouco, estudos consistentes sobre quais seriam os limites adequados para as ­áreas de preservação permanente (APPs) e de reserva legal. Ciência tem “competência e capacidade” para ajudar a produzir Código Florestal melhor, disse o pesquisador Antonio Donato Nobre (Foto: Geraldo Magela/Agência Senado) No documento, as duas entidades concordavam com a necessidade de reformulação do Código Florestal vigente, mas reiteravam que ela deve ser feita “à luz da ciência e tecnologia hoje disponíveis”.

Seminário Rumos Abertos 2016. Nasceu em Santo André na grande São Paulo, mas cresceu em um sitio com mata atlântica preservada em Embu das Artes, do outro lado da cidade.

Seminário Rumos Abertos 2016

Estudou agronomia, constatando como a agricultura estava longe da vida real das matas. Foi para a Amazônia e se apaixonou, desenvolvendo lá seu aprofundamento na ciência e na experiência. Ampliou seu conhecimento no doutorado estudando a Terra e seu funcionamento. Depois, ao longo de sua carreira cientifica, preocupou-se em dissolver as disciplinas e construir um conhecimento amplo, articulado e simplificado nos temas onde atuou e atua. Considera essencial comunicar-se com a sociedade em linguagem compreensível e estimulante, tendo obtido êxitos na tradução e disponibilização do conhecimento cientifico, visando sua apropriação por qualquer pessoa.