background preloader

Operação Lava Jato

Facebook Twitter

Legado ético do cerco à corrupção ainda está em aberto. Apesar de o cerco à corrupção na Petrobras alcançar contornos inéditos com a prisão dos presidentes de duas das maiores empreiteiras do país, em mais um desdobramento da Operação Lava-Jato, especialistas questionam o grau de limpeza que ficará como legado à política nacional.

Legado ético do cerco à corrupção ainda está em aberto

Em janeiro, Andrade Gutierrez negou envolvimento de presidente Mesmo que integrantes da nata do empresariado brasileiro estejam indo para a cadeia, pesquisadores ouvidos por ZH ponderam que os efeitos ainda são pontuais – e que pouco alteram a engrenagem que sustenta desvios e desmandos nas relações público-privadas. – Os problemas centrais da corrupção no Brasil continuam sem resolução – resume Leonardo Avritzer, professor de Ciência Política da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e presidente da Associação Brasileira de Ciência Política, citando os escusos financiamentos de campanha como um dos principais nós a serem desatados.

Mas há avanços a serem comemorados. O que quer Sergio Moro? - 10/03/2016 - Guilherme Boulos - Colunistas. Delator da Lava Jato ‘desenterra’ emenda da reeleição no governo FHC. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Delator da Lava Jato ‘desenterra’ emenda da reeleição no governo FHC

Foto: Estadão Em sua delação premiada firmada com a força-tarefa da Lava Jato, o ex-deputado Pedro Corrêa (PP-PE), condenado pelo juiz Sérgio Moro a 20 anos e três meses de prisão enquanto ainda cumpria sua pena no mensalão, desenterrou um episódio polêmico do Congresso durante o governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB/1994-2002): a compra de votos de deputados para apoiar a emenda da reeleição, em 1997. Corrêa, que admitiu ter se envolvido em crimes desde seu primeiro mandato parlamentar, em 1978 pelo extinto Arena, afirmou aos investigadores que o episódio envolvendo o governo FHC “foi um dos momentos mais espúrios” que ele presenciou em todos os anos de deputado federal. Segundo o delator, houve uma disputa de propinas. Vazamento de depoimento de Costa e Youssef é ilegal, dizem juristas. O fim da Nova República, por Leonardo Avritzer.

O fim da Nova República, por Leonardo Avritzer A aprovação da admissibilidade do impeachment da presidente Dilma Rousseff marca o fim da "Nova República”, o nome que caracterizou o período entre 1985-2016.

O fim da Nova República, por Leonardo Avritzer

A nova república foi, ao mesmo tempo, uma coalizão social e uma forma de organização das instituições políticas brasileiras. Enquanto coalizão social, a nova república teve três características: a primeira delas foi um certo progressivismo de um centro político muito bem representado pelo PMDB. O PMDB é um dos partidos centrais da organização política brasileira porque foi ele, ao longo da luta pela democratização do país, que gerou um discurso de inclusão social aceito pelas forças do centro. Neste sentido, a nova República foi criada pelo PMDB em 1985-86 e, provavelmente, extinta na última quinta feira pelo mesmo PMDB. Calendário do Golpe. Lava Jato: agência sob suspeita recebeu R$ 1 bilhão. Uma agência de publicidade que fez pagamentos para empresas vinculadas ao ex-deputado petista André Vargas (sem partido-PR) recebeu R$ 1,07 bilhão da Caixa Econômica Federal (CEF) e do Ministério da Saúde entre 2008 e 2015.

Lava Jato: agência sob suspeita recebeu R$ 1 bilhão

Os valores, repassados à agência Borghi Lowe, na verdade são ainda mais elevados, uma vez que não foram corrigidos segundo as taxas atualizadas de inflação. Além da CEF e daquela pasta, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) confirmou à reportagem do jornal Folha de S.Paulo que a Borghi Lowe é, desde 30 de dezembro, uma das três agências responsáveis pelos serviços de publicidade da instituição. Tais contratos somam, anualmente, R$ 110 milhões – mas, segundo o BNDES, não foi feito qualquer pagamento àquela agência até a última semana. Já a CEF informa ter transferido R$ 713 milhões para a Borghi Lowe entre agosto de 2008 e abril de 2013, no âmbito do primeiro contrato entre as partes. Golpe é para restaurar a República Velha - Portal Fórum. O golpe é para acabar, com um só golpe, com três grandes legados sociais e políticos do Brasil: o legado de Lula, o legado de Ulysses Guimarães e o legado de Getúlio Vargas.

Golpe é para restaurar a República Velha - Portal Fórum

Não é exagero, não é invenção. É o que está escrito no programa econômico do golpe de Michel Temer e Eduardo Cunha, o documento “Uma Ponte Para o Futuro”, divulgado há poucos meses. Relação promíscua entre empreiteiras e governo começou na ditadura militar. As 27 fases da Operação Lava-Jato. A Coup is in the Air: The Plot to Unsettle Rousseff, Lula and Brazil. Neoliberal parties, the corporate media, a conservative judiciary, oil lobbyists, the white elite and right-wing groups, with generous help from outside, have ganged up to derail the country’s government.

A Coup is in the Air: The Plot to Unsettle Rousseff, Lula and Brazil

And it’s all being made to look like a popular uprising against a corrupt regime President Dilma Rousseff, who is herself under attack from the combined opposition, flew to Sao Paulo to stand with Lula. Irmãos Koch: Partido mais secreto do mundo torra R$ 2,5 bilhões para implantar o ultraliberalismo. Publicado em 24 de março de 2016 às 21:02 por Luiz Carlos Azenha Um colega que estranhou a repentina força do liberalismo entre jovens brasileiros afirmou: quem sabe em 20, 30 anos, a gente vai descobrir o que realmente aconteceu.

Irmãos Koch: Partido mais secreto do mundo torra R$ 2,5 bilhões para implantar o ultraliberalismo

Imediatamente eu me lembrei da Operação Brother Sam, lançada pelos Estados Unidos em 1964: em caso de guerra civil, sustentaria os golpistas com armas e combustível.

Fases 01 a 06 Março - Agosto de 2014

Personagens. Relação promíscua entre empreiteiras e governo começou na ditadura militar. Ex-diretor da Petrobrás delata propina a deputados, senadores e governador. BRASÍLIA - O ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa citou pelo menos 32 deputados e senadores, um governador e cinco partidos políticos que receberiam 3% de comissão sobre o valor de cada contrato da Petrobrás firmados durante sua gestão na diretoria de Abastecimento da estatal petrolífera.

Ex-diretor da Petrobrás delata propina a deputados, senadores e governador

Desde a sexta feira passada, 29 de agosto, Costa está depondo em regime de delação premiada para tentar obter o perdão judicial. Ele é alvo da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que desmantelou um grande esquema de lavagem de dinheiro e corrupção na Petrobrás. São depoimentos diários que se estenderam por toda semana. TCU sugeriu barrar obras da Petrobrás. Brasília - O Palácio do Planalto foi alertado em 2009 de irregularidades em obras da Petrobrás pelo Tribunal de Contas da União (TCU), que recomendou o bloqueio de recursos para os empreendimentos da estatal no orçamento do ano seguinte.

TCU sugeriu barrar obras da Petrobrás

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, contudo, vetou dispositivos da lei orçamentária, aprovada pelo Congresso, que impediriam os repasses. A decisão permitiu que R$ 13,1 bilhões fossem liberados para quatro obras da companhia petrolífera, embora auditorias feitas pela corte de contas tivessem detectado superfaturamento e várias outras impropriedades. Desse total, R$ 6,1 bilhões foram destinados à construção da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Segundo o inquérito da Operação Lava Jato, os contratos com empreiteiras são a fonte de desvios da obra para partidos da base aliada. O orçamento inicial de Abreu e Lima, de R$ 2,3 bilhões, já ultrapassa os R$ 20 bilhões. Lava Jato expõe rede do colarinho branco - Lava Jato, Alberto Youssef - Bondenews. Dez nomes que aparecem na lavanderia de dinheiro desmontada pela Operação Lava Jato foram denunciados ou investigados pela Polícia Federal por crime financeiro em sete escândalos recentes da política brasileira, entre eles o mensalão, a CPI dos Bingos e o Caso Banestado.

Lava Jato expõe rede do colarinho branco - Lava Jato, Alberto Youssef - Bondenews

Alvo central e coordenador do "engenhoso e sofisticado" esquema de lavagem de dinheiro usado para "esquentar" os recursos de caixa 2, oriundos, segundo a Polícia Federal, de corrupção e fraudes que atingiram a Petrobrás entre os anos de 2009 e 2014, o doleiro Alberto Youssef é o melhor exemplo de reincidente. "Alberto Youssef possui envolvimento há mais de duas décadas com crimes (...). Empresário diz que outros políticos do PSDB receberam dinheiro desviado da Petrobras. BRASÍLIA - O empresário Leonardo Meirelles afirmou, em depoimento na 13ª Vara Federal de Curitiba, que outros políticos do PSDB, além do ex-presidente do partido Sérgio Guerra, receberam dinheiro desviado da Petrobras pela organização do doleiro Alberto Youssef. Meirelles aparece como um dos donos do Labogen, o laboratório usado por Youssef para mandar aproximadamente US$ 130 milhões para o exterior a partir de falsos contratos de importação e exportação. O empresário falou sobre o suposto envolvimento de políticos do PSDB em perguntas de seu advogado Haroldo Nater durante audiência oficiada pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, na segunda-feira.

O advogado perguntou se outros partidos, além do PP, PT e PMDB foram beneficiados com desvios de dinheiro da Petrobras pelo grupo de Youssef. Delegados da Lava Jato exaltam Aécio e atacam PT na rede. Delegados federais da Operação Lava Jato, força-tarefa que investiga o esquema de corrupção na Petrobrás envolvendo empreiteiras e partidos, entre os quais o PT, usaram as redes sociais durante a campanha eleitoral deste ano para elogiar o senador Aécio Neves, candidato do PSDB ao Planalto, e atacar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua sucessora, Dilma Rousseff, que disputava a reeleição. Ex-diretor afirma que tucano extorquiu Petrobrás e recebeu propina de R$ 10 milhões. Por Fausto Macedo, Ricardo Brandt e Mateus Coutinho O ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa afirmou em sua delação premiada que o então presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra – morto em março deste ano –, o procurou e cobrou R$ 10 milhões para que a Comissão Parlamentar de Inquérito da Petrobrás, aberta em julho de 2009 no Senado, fosse encerrada.

Segundo Costa, o tucano disse a ele que o dinheiro seria usado para a campanha de 2010. Aos investigadores da Operação Lava Jato, Costa afirmou que os R$ 10 milhões foram pagos em 2010 a Guerra. O pagamento teria ocorrido depois que a CPI da Petrobrás foi encerrada sem punições, em 18 de dezembro de 2009. O senador era um dos 11 membros da comissão – três integrantes eram da oposição e acusaram o governo de impedir as apurações. A obra era um dos sete alvos suspeitos na Petrobrás que justificaram a abertura da comissão, em julho. Empresário diz que outros políticos do PSDB receberam dinheiro desviado da Petrobras. Objetivo da Lava Jato é prender também os corruptores - 14/11/2014 - Poder. O objetivo não declarado dos policiais e procuradores federais na fase atual da Operação Lava Jato é colocar os corruptores na prisão.

Por corruptores entenda-se os presidentes e diretores de grandes empreiteiras, como Odebrecht, Camargo Corrêa e Mendes Júnior. Essas empresas -nove ao todo, pertencentes a sete grupos- têm contratos que somam R$ 59 bilhões com a Petrobras, considerando o período de 2003 a 2014. Também foi preso o ex-diretor de serviços da Petrobras Renato Duque.

Dito de outra forma, eles querem "passar o país a limpo", para usar um clichê repetido por policiais e procuradores. Com prisões dos barões das empreiteiras, ganha força o financiamento público. Por Luiz Carlos Azenha Igor Gielow, diretor da sucursal da Folha em Brasília, diz em outras palavras que o governo Dilma quase acabou, antes mesmo de começar o segundo mandato. É uma daquelas análises superlativas, feitas no calor da hora, que estamos acostumados a ver na mídia corporativa. Do mesmo naipe das previsões sombrias que testemunhamos durante os protestos de junho, antes da Copa ou quando era dado como certo que teríamos um novo apagão energético. Na CBN, sorridente, Merval Pereira concorda com Carlos Alberto Sardenberg, quando este diz que parece que o governo acabou.

Misturam alhos com bugalhos, colocando na mesma cesta o escândalo da Petrobras e a decisão do governo Dilma de não adotar a política econômica dos derrotados. Para a oposição, afinal, é isso mesmo o que está em jogo: levar um governo enfraquecido a adotar o programa dos que perderam em 2014. Cartel na Petrobras tinha regras como de "campeonato de futebol" Em depoimentos prestados no fim de outubro, Augusto Ribeiro de Mendonça Neto e Julio Gerin de Almeida Camargo, da Toyo Setal, contaram com detalhes à Polícia Federal como as principais empreiteiras do País formaram um “Clube” para conquistar as principais licitações da Petrobras. Mendonça Neto começou seus depoimentos no dia 29 de outubro.

Na presença do delegado Felipe Eduardo Hideo, o empresário detalhou como se deu a formação do cartel de empresas, quais eram os critérios para a distribuição das obras e a negociação do pagamento de propina. Análise: Governo Dilma enfrenta pior crise - 14/11/2014 - Poder. Ex-gerente da Petrobrás, novo delator da Lava Jato aceita pagar cerca de US$ 100 milhões. Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba, e Fausto Macedo. Perguntas e respostas da Operação Lava Jato. Lei de FHC afrouxou controles da Petrobras. “Estava visível que queriam interferir no processo eleitoral”, diz Janot sobre vazamentos à véspera da eleição. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse à Folha que os vazamentos do caso Petrobras às vésperas das eleições tiveram objetivos eleitorais. “Estava visível que queriam interferir no processo eleitoral.

Renan e Eduardo Cunha foram avisados de que estão na lista de políticos da Lava-Jato. BRASÍLIA - Os presidentes da Câmara, deputado Eduardo Cunha, e do Senado, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), ambos do PMDB foram informados que estarão na lista que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, vai enviar ao Supremo Tribunal Federal (STF). Lava Jato: Presidentes da Câmara e do Senado estão na lista de Janot. Do Brasil 247 Lava Jato atinge os dois principais nomes do Congresso Nacional: Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, e Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara; procurador geral da República, Rodrigo Janot, pedirá autorização ao Supremo Tribunal Federal para abrir inquérito e investigar a suposta participação de Calheiros e Cunha no esquema de corrupção na Petrobras; ministro Teori Zavascki é que vai analisar os pedidos; com os cabeças do Congresso sendo investigados, a crise gerada pela operação Lava Jato pode estar longe de um desfecho; 247 antecipou também que é Tião Viana (PT), do Acre, o único governador que deve ser investigado.

Lava Jato: pelo menos 35 políticos sob investigação. Rodrigo Janot deve pedir inquérito contra agentes políticos nesta semana A Operação Lava Jato avança para o seu momento mais aguardado desde que foi deflagrada, há quase um ano, em 17 de março de 2014. Tucano Anastasia, cria e aliado de Aécio Neves, é a surpresa na lista da Lava Jato; PP tem 32 citados, inclusive padre e missionário.

A ‘lista de Janot’ agora é oficial: os políticos que serão investigados na Lava Jato. Homens da Lava Jato posam como semideuses para Folha. Arrogância? Um desacordo entre manifestantes e os convocantes dos protestos? Por que o impeachment é um golpe paraguaio. STF arquiva acusação contra Aécio na Lava Jato - 19/02/2016 - Poder. Senado cria comissão para estudar modelo de 'semipresidencialismo' - 09/03/2016 - Poder.

‘Nós temos uma Suprema Corte totalmente acovardada’, diz Lula a Dilma; ouça. Se Lula virar ministro, o que aconteceria com investigações contra ele? - BBC Brasil. Juíza de SP envia denúncia e pedido de prisão de Lula ao juiz Moro. Juíza de São Paulo transfere processo contra Lula para Sérgio Moro - Moro Lula. Mídia internacional vê protesto "mais velho, mais branco e mais rico" do que os de 2013. “Estamos no meio de um terremoto sem saber ainda quando ele termina” Para especialistas, pedido de prisão preventiva de Lula não se sustenta. Pablo Ortellado: Liderança perigosa - 14/03/2016 - Opinião.

Pastor Silas Malafaia é vaiado em Brasília. Juíza de SP envia denúncia e pedido de prisão de Lula ao juiz Moro. Gilmar diz que nomeação de Lula é fuga da Lava Jato e deixa o STF 'mal' STF recebe 10 ações contra posse de Lula; 7 estão com Gilmar Mendes. Juiz suspende nomeação de Lula; governo irá recorrer - 17/03/2016. O que Delcídio disse sobre Aécio na delação premiada. Onde estavam os negros na Paulista? Renan Calheiros defende reduzir poder de Dilma - 13/03/2016 - Poder. Delcídio diz que Aécio atuou para maquiar dados do Banco Rural na CPI dos Correios. Câmara elege comissão de deputados para analisar o impeachment - 17/03/2016 - Poder. Editorial: Protagonismo perigoso - 18/03/2016 - Opinião. Editorial: Protagonismo perigoso - 18/03/2016 - Opinião.

Quebra de sigilo de Sérgio Moro é questionada por juristas: entenda. Moro constrói caminho contra Estado de Direito, dizem juristas na USP - 18/03/2016 - Poder. PF apreende planilhas da Odebrecht com valores destinados a mais de 200 políticos. O suicídio da Lava Jato - 18/03/2016 - Vladimir Safatle - Colunistas. Movimentos golpistas no Brasil são financiados por interesses americanos. Mônica Bergamo. Cerimônia de posse de Lula: Dilma: “A gritaria dos golpistas não vai colocar o povo de joelhos” Euforia e tensão em 24 horas de ‘Fora Dilma’ na Avenida Paulista.

Contabilidade da Odebrecht indica pagamento de propina desde os anos 1980. Ministro do STF, sobre vazamentos: “Moro simplesmente deixou de lado a lei. Isso está escancarado" - Portal Fórum. Promotoria de São Paulo pede prisão preventiva de Lula no caso tríplex. Réu, Eduardo Cunha atua em passo a passo do impeachment de Dilma - 27/03/2016. Documentos da Odebrecht listam mais de 200 políticos e valores recebidos.

Nem Dilma nem Temer - 02/04/2016 - Opinião.