background preloader

Cidade

Facebook Twitter

ARTIGO19 » Nova publicação analisa falta de transparência nos órgãos de segurança pública. Em vigor desde 2012, a Lei de Acesso à Informação (LAI) tem ajudado a disseminar a transparência nos órgãos públicos brasileiros, ainda que a duras penas.

ARTIGO19 » Nova publicação analisa falta de transparência nos órgãos de segurança pública

Em alguns deles, porém, a cultura do sigilo, tão prejudicial ao direito à informação, ainda segue bastante resistente a mudanças, como no caso dos órgãos de segurança pública, já amplamente conhecidos como sendo uns dos mais avessos à aplicação da LAI. Com o objetivo de documentar e denunciar o cenário, a ARTIGO 19 lança hoje (31) a publicação “Repressão às Escuras – uma análise sobre transparência em assuntos de segurança pública e protestos”. O trabalho visa demonstrar a falta de transparência dos órgãos brasileiros de segurança pública e a relação com a continuidade das violações de direitos humanos, sobretudo no contexto dos protestos sociais.

Baixe a análise Pedidos de informação Os 66 pedidos de informação enviados foram divididos em três grupos. Protocolos do uso da força policial. A ABSURDA ESPERANÇA DA VELA NO BREU... - Luiz Antonio Simas. SánchezGiraldoC 2016 CiudadObservadaTrasegal. GT03 LEANDRO AGUIAR. Visibilidades e invisibilidades urbanas.

499 1000 1 SM. Tua, minha, nossa rua: a construção simbólico-afetiva das cidades. Temos nos perguntado sobre o quê, de fato, leva as pessoas a admirarem uma cidade.

Tua, minha, nossa rua: a construção simbólico-afetiva das cidades

O que contribui para a construção do imaginário e para a criação dos vínculos afetivos? O que leva as pessoas a quererem visitar uma cidade? Ou a querer investir em novos negócios? Quem tem medo das marcas do colonialismo no espaço público? À entrada estão estátuas enormes a representar homens negros, com cabelo e lábios pintados de vermelho berrante, feições exageradas.

Quem tem medo das marcas do colonialismo no espaço público?

A potência das culturas de frestas. Por Beatriz Reis “Uma cidade é feita de muitas cidades.”

A potência das culturas de frestas

Luis Antônio Simas, historiador que une em seus estudos a experiência em terreiros com a admiração pelo samba, escolheu esta frase de Marcos Rebello para iniciar a mesa “modos de fazer no Rio”, cuja proposta era debater as práticas culturais daqueles que tem a resistência como modo de vida. Ocorrida na manhã do último dia do curso “Cidades Rebeldes e Espaços de Esperança”, esta mesa trouxe a necessidade de aprendermos com a potencialidade das diferentes formas de existir na cidade.

E se nossa cidade é composta por muitas outras, é evidente que uma delas é profundamente negra em sua cultura, fruto da diáspora africana que se concretizou no Rio através do maior porto de entrada de escravizados da história humana, o porto do Valongo. E o que confere vida pulsante a essa e tantas outras áreas da cidade está no caráter resistente das manifestações culturais que ali se iniciaram.

O encantamento das cidades. Artigo19. 68.000 mapas históricos en alta resolución gratis para descargar. Luciana Corrêa do Lago: Autogestão habitacional e a politização das práticas econômicas populares. As cidades latino-americanas estão imersas num contexto político-econômico marcado por novas e velhas contradições.

Luciana Corrêa do Lago: Autogestão habitacional e a politização das práticas econômicas populares

Assistimos, desde os anos 90, ao crescente poder dos agentes financeiros em pautarem e controlarem as condições de vida em nossas cidades, em particular as condições de acesso àmoradia e serviços públicos. Se na década de 90 a tônica foram as políticas de privatização desses serviços alterando a distribuição do fundo público em favor das grandes corporações internacionais, na década seguinte, o grande capital imobiliário, agora inserido no circuito financeiro internacional, assumiu lugar privilegiado na disputa pelo fundo público.

A habitação tornou-se um fator macroeconômico estratégico e importante dinamizador do capital financeiro. Multiculturalismo e cidade: A diversidade cultural na política social urbana - Outros. En Terreno Peligrosso. Para compreender os conflitos entre fazendeiros e indígenas em MS - Artigos. Há muito os problemas que atingem os povos indígenas em Mato Grosso do Sul ganharam manchete na imprensa regional, nacional e internacional.

Para compreender os conflitos entre fazendeiros e indígenas em MS - Artigos

Todos os anos índios são mortos e nada é feito de objetivo para mudar a realidade. Autoridades eleitas pelo povo, como vereadores, deputados estaduais, deputados federais, senadores, prefeitos e governador, mandato após mandato e salvo honrosas excessões, simplificam o problema. Ao fazerem isso, rechaçam o enfrentamento da questão fundiária, causa maior dos conflitos entre fazendeiros e comunidades indígenas. Veja Mais› Inaceitável a reforma do sistema previdenciário› Inverno: período crítico para piscicultura Ao fazerem isso, essas autoridades se isentam de quaisquer responsabilidades, terceirizam o problema e lavam as mãos. A questão fundiária, por sua vez, é um problema muito antigo e suas origens remontam aos séculos 18, 19 e 20, quando se deu a origem da propriedade privada da terra na região. Serie Microdocumental. La máquina del arte a favor de la gentrificación - PortaVOZ.

En los últimos diez años, diferentes ciudades en América Latina han atravesado intensos procesos de reconfiguración, tanto espacial como socialmente hablando.

La máquina del arte a favor de la gentrificación - PortaVOZ

Muchos de estos procesos están, de un modo u otro, ligados a los avances e imposición de las políticas neoliberales, así como a los procesos de globalización, y por tanto a diversas formas de despojo. Podríamos decir entonces, que dichas transformaciones son formas específicas de observar la aplicación de las políticas del sistema neoliberal, son la base material de estas. Uno de los fenómenos que caracteriza la aplicación de estas políticas es el del despojo en las grandes urbes, que responde a su vez a nuevas formas de incentivar la producción inmobiliaria a través de la mercantilización del espacio, para lo cual resulta necesario rediseñar la distribución de este y por tanto, aplicar nuevas políticas de organización, urbanización y funcionamiento. Librometrópolisdesbordadas.pdf. Zine - Como não gentrificar_1.pdf. Documentário "Poro: intervenções urbanas e ações efêmeras" Em novo livro, Antonio Risério reflete sobre a relação entre a mulher e a cidade no Brasil e no mundo.

RIO - Antonio Risério é um intelectual à moda antiga.

Em novo livro, Antonio Risério reflete sobre a relação entre a mulher e a cidade no Brasil e no mundo

No seu livro recém-lançado, “Mulher, casa e cidade” (Editora 34), o antropólogo baiano constrói amplos arcos históricos, que vão da Antiguidade ao mundo contemporâneo, em artigos e ensaios que abordam a tensa relação entre a mulher e a cidade. Risério é capaz de apontar a ausência da urbanidade na obra da romancista japonesa do século XI Murasaki Shikibu e refletir sobre a contribuição decisiva de três mulheres para a arquitetura brasileira no século XX: Lota de Macedo Soares, Lina Bo Bardi e Carmen Portinho. Guia do Espaço Público. O Guia do Espaço Público busca contribuir com ideias e práticas para ajudar cidadãos, órgãos públicos, academia, empresas e todos demais interessados em construir melhores espaços públicos nas cidades brasileiras.

Guia do Espaço Público

Conteúdo: -> O que é Placemaking -> Características e benefícios de espaços públicos bem sucedidos -> 11 Princípios para criar ótimos espaços públicos -> Placemaking no Brasil Clique aqui para ler o Guia do Espaço Público O guia foi produzido por Paola Caiuby Santiago, fundadora e diretora do Conexão Cultural, e Jeniffer Heemann, co-fundadora e diretora executiva do Bela Rua – ambas membros do Conselho Brasileiro de Lideranças em Placemaking. Todo o conteúdo que você vê aqui é baseado nos princípios e práticas da Project for Public Spaces, organização sem fins lucrativos de Nova York, que ajuda pessoas a criar e manter espaços públicos com o objetivo de construir comunidades mais fortes.

A Nova República acabou, diz filósofo Vladimir Safatle. Veja como construir uma casa em superadobe passo-a-passo (com fotos) - Jardim do MundoJardim do Mundo. Baixo custo e conciência ambiental: bioconstrução em superadobe passo -a- passo: Quando se trata de construção natural, o melhor a fazer, para ilustrar uma possibilidade, é trazer exemplos concretos e reais das experiências que sempre são aplicadas quando se pratica a bioconstrução assim como o conhecimento ganho com a mescla de técnicas milenares com materiais modernos e medições.

Veja como construir uma casa em superadobe passo-a-passo (com fotos) - Jardim do MundoJardim do Mundo

A vida dentro dos hotéis, palacetes e cinemas ocupados por sem-teto em SP - BBC Brasil. Grupo de sem-teto ocupa prédio de bairro nobre de São Paulo. A zeladora Eva Lúcia Gonçalves, de 41 anos, saiu de Fortaleza para tentar uma vida melhor em São Paulo há pouco mais de oito anos. Inicialmente moradora de São Miguel Paulista, extremo leste da capital, hoje Eva mora em um prédio do Jardim Paulistano, área nobre na zona oeste que, sozinho, se não fosse um bairro, ostentaria nada menos que a terceira colocação no ranking de IDHs (Índices de Desenvolvimento Humano) entre todos os municípios do Brasil. O prédio em que ela mora, porém, é o mesmo onde é zeladora – e o qual ajudou a ocupar, com outros quase 150 sem-teto, na sexta-feira de Carnaval. A construção, avaliada em R$ 18 milhões e localizada na Marginal Pinheiros, integra a massa falida do Banco Santos, de Edemar Cid Ferreira. O banco teve a falência decretada pela Justiça paulista em setembro de 2005, no ano seguinte à intervenção realizada pelo Banco Central (BC) na instituição.

Paulo Mendes da Rocha: “O que está em debate em São Paulo é a estupidez do automóvel” É possível dizer que o arquiteto brasileiro Paulo Mendes da Rocha, de 86 anos, está em um lugar onde poucos do mundo já chegaram. Em 2006, recebeu o prêmio Pritzker, o mais importante da arquitetura mundial. Autor de obras como o Museu Brasileiro da Escultura (MUBE), em São Paulo, o arquiteto pertence a uma geração de modernistas, influenciados por nomes como o francês Le Corbusier, o russo Gregori Warchavchik e os brasileiros Lúcio Costa, Oscar Niemeyer e João Batista Vilanova Artigas. No centro da cidade, onde mantém um escritório no mesmo endereço há 30 anos, o arquiteto que nasceu em Vitória, no Espírito Santo, recebeu o EL PAÍS, sentado em sua Poltrona Paulistana, projetada em 1957 e que até hoje é vendida em diversos países.

Metrópoles, crise civilizatória e alternativas. Um dos grandes arquitetos brasileiros dispara: cidades são essência do ser humano; mas crescimento urbano entregue à especulação imobiliária só pode dar em desastre. O QUE É NOSSO - Reclaiming the Jungle. Cooperativa de fotógrafos. História Ilustrada: Completamente surreal: Fotos de dentro de shoppings abandonados nos Estados Unidos. Não há nada mais fascinante do que olhar um ambiente humano sem os seus protagonistas. O declínio econômico no negócio tem feito muitos investidores abandonarem este nicho, isso se explica pelo fato da "cultura do shopping" estar sendo superada por lojas que aproveitam o espaço público da cidade. É um fenômeno histórico de uma mudança de comportamento urbano: neste texto de um site especializado em arquitetura e urbanismo, podemos perceber que a lógica em que se aplica o uso dos shopping centers já não é a mesma.

"Quando o shopping passa a ser uma necessidade e não apenas mais uma opção, isso é sinal de que a cidade se encontra terrivelmente adoecida" Enquanto o Brasil ainda não vive este momento, os Estados Unidos já experimentam a experiência de retornar ao espaço público, e isso tem sido fatal para os shopping centers. O mapa acima mostra a localização dos shoppings abandonados, abaixo estão algumas fotos desses lugares. Books.scielo.org/id/bk/pdf/serpa-9788523209162-14.pdf. Www.usp.br/revistausp/63/09-massino.pdf. Privatização da Rua [AG#2] Privatizar a rua, mas sem vendê-la A rigor, a privatização − ou a desestatização − significa a venda de um bem público ao setor privado. Essa definição em sentido estrito não se aplica, evidentemente, ao caso apurado e apresentado pelo AG nessa reportagem. O Vale do Anhangabaú, assim como os largos do Paissandú e São Francisco, não foram vendidos ao banco Itaú pelo município. O processo de "venda" aqui apresentado é muito mais sutil, homeopático e entranhado do que uma transação de compra e venda.

Quem visitou o Vale do Anhangabaú durante os jogos da Copa do Mundo de 2014 pôde testemunhar um exemplo concreto de privatização sem venda. A transformação da cidade em ator econômico, em "cidade-empresa", segundo Vainer, que compete com outras cidades para vender boa localização e atrair investimentos do capital transnacional, é melhor entendida à luz da agenda neoliberal imposta aos países da América Latina nos anos 1980, em decorrência da crise da dívida externa. 25 libros sobre construcción natural en formato PDF. Iniciativa creer para crear: un espacio de expresión, libertad, corporalidad, diversidad, vivencia, arte y cultura. Descarga acá los libros en formato PDF. Ciudades muertas-TdS.pdf. Plano Diretor: participar é um direito!.pdf. Www.righttothecityplatform.org.br/download/publicacoes/Conhecendo o Direito.pdf.

Porto Alegre. Com pequenas e grandes obras, a cidade é um lugar de disputa permanente. Entrevista especial com Lucimar Siqueira. “As obras em curso na cidade não foram debatidas com a sociedade. Em alguns casos a pressão da sociedade, através dos movimentos, consegue fazer com que projetos sejam apresentados publicamente. Foi o caso do Projeto Orla, o qual foi apresentado pelo arquiteto contratado, mas cuja obrigação era do poder público”, critica a pesquisadora. A avaliação da organização espacial das cidades e das mudanças urbanas que estão acontecendo “passa por compreender as articulações entre um conjunto de ações promovidas pelo setor imobiliário, planos e programas tanto de caráter nacional quanto municipal, e ações do Executivo e do Legislativo”, frisa Lucimar Siqueira, em entrevista concedida à IHU On-Line, por e-mail.

Em texto inédito, Nicolau Sevcenko defende o urbanismo inclusivo - 23/08/2014 - Ilustrada. A fotografia revela o que os urbanistas latinos ocultam. Intervenção urbana como assunto de aula. Temos publicado nos últimos tempos algumas iniciativas cidadãs em diversos lugares que ocasionam a melhoria dos espaços públicos das cidades. Harvey: A violência nas ruas e o fim do capital. O comum da cooperação social na metrópole. Em texto inédito, Nicolau Sevcenko defende o urbanismo inclusivo - 23/08/2014 - Ilustrada. São Paulo começa a aplicar IPTU anti-especulação. Garota de 14 anos constrói sua própria casa com apenas US$ 10 mil - pindorama. "A cidade do pensamento único" - livro. Now Poblenou: Arte y memoria contra la gentrificación. "Intento expresar la gran transformación que vive el Poblenou a través de lo humano, de los recuerdos y de la intimidad de los vecinos", resume Jupiterfab, el nombre artístico del artista Fabrizio Bianchini, italiano de nacimiento y poblenoví por propia elección.

Es el alma máter del proyecto Now Poblenou, un trabajo multidisciplinar en el que ya participan una veintena de profesionales heterogéneos y que reflexiona sobre la gentrificación del barrio y las consiguientes particularidades de la convivencia generacional y la vida cotidiana. La faceta más visible, aunque sólo sea la punta del iceberg, son los retratos XXL que han aparecido en varios muros del barrio.

Son los rostros de algunos de los treinta vecinos a los que Bianchini y su equipo han entrevistado en el último año. La aventura nació hace un año, con la mudanza de Bianchini al Poblenou. Los murales, la cara visible del proyectoEl elemento más visible de Now Poblenou son los murales. ORFEU EXTÁTICO NA METRÓPOLE - Nicolau Sevcenko - Companhia das Letras. Timeline Photos - Quadrinhos Ácidos. Grade antimorador de rua ocupa quase um terço de calçada na Cidade Baixa - Porto Alegre.

O espaço exato da marquise do prédio de número 393 da Rua da República, no bairro Cidade Baixa, em Porto Alegre, está ocupado por uma grade antimorador de rua. Como a internet ajudou mais de 20 famílias a desapropriar um edifício abandonado no Brasil. 'Menino-passarinho' intriga moradores de Higienópolis. Questionadas por vizinhos, 'ocupações artísticas' invadem SP; veja vídeo - 22/07/2014 - TV Folha - Multimídia.

'Menino-passarinho' intriga moradores de Higienópolis.

Patrimônio

O jardim suspenso da Babilônia paulistana. Arquitetura da Gentrificação. Políticas Culturais para as Cidades. Ficción Inmobiliaria. La Revolucion es Ahora! DOCU - Urbanized (urbanizado) Espaço público como ideologia. Metrópole Comunicacional. Quilombo. Archive – Zaha Hadid Architects. Ciudad del Boom Ciudad del Bang - Documental Completo (2013) Notas sobre planejamento estratégico urbano. A Nova York dos excluídos. Arquitetura hostil: as cidades contra seres humanos. Poesia de rua", artistas pretendem mudar a relação entre pessoas e cidades - Cultura.

Ferreiros dos Arcos da Montanha - Salvador, Bahia. Desplazamiento y Gentrificacióin AmericaLatina. O a herança arquitetônica forma nossa experiência de lugar  Moradia popular: o MTST apresenta seu método. Espaços urbanos são para atender o interesse coletivo, não o particular - SPressoSP. Eu, Favela. Manual de Mapeo Colectivo. Laboratorio de Cartografía Crítica: GENTRIFICACIÓN.