background preloader

Biology

Facebook Twitter

Top 10 Design Flaws in the Human Body - Nautilus - Pocket. The Greeks were obsessed with the mathematically perfect body. But unfortunately for anyone chasing that ideal, we were designed not by Pygmalion, the mythical sculptor who carved a flawless woman, but by MacGyver. Evolution constructed our bodies with the biological equivalent of duct tape and lumber scraps. And the only way to refine the form (short of an asteroid strike or nuclear detonation to wipe clean the slate) is to jerry-rig the current model. “Evolution doesn’t produce perfection,” explains Alan Mann, a physical anthropologist at Princeton University. “It produces function.” With that in mind, I surveyed anatomists and biologists to compile a punch list for the human body, just as you’d do before buying a house.

Get out your checkbook. 1. Problem: Our spines are a mess. Fix: Go back to the arch. 2. Problem: As Latimer says, “You take the most complex joint in the body and put it between two huge levers—the femur and the tibia—and you’re looking for trouble.” 3. 4. 5. 6. 7. OneZoom Tree of Life Explorer.

Medicina

Seleção Natural. The Brain—Information about the Brain. 1 Introduction “I think, therefore I am.” —René Descartes, 17th-century philosopher Few of us question the crucial importance of the brain. It is vital to our existence. Our brains enable us to think, as René Descartes so skillfully pointed out nearly 400 years ago. Yet the human brain is responsible for so much more. The brain makes up only 2 percent of our body weight, but it consumes 20 percent of the oxygen we breathe and 20 percent of the energy we consume. Scientists have worked for many years to unravel the complex workings of the brain.

Despite these and other significant advances in the field of brain research, most of the processes responsible for the integrated functioning of billions of brain cells remain a mystery. An essential aspect of any scientific research is communicating results to the public in a way that is easily understood. 2 Myths and Realities about the Brain Myth: The brain is separate from the nervous system. Myth: The brain is a uniform mass of tissue. 4.2 Glia. 'Tempestade perfeita' permitiu surgimento de Aids, diz estudo - BBC Brasil. Fator sorte do câncer | Ciência. Em um de seus contos, Jorge Luis Borges inventou a loteria da Babilônia, controlada por uma organização cada vez mais secreta e poderosa que acaba dominando as vidas de todos os habitantes. O prêmio em alguns casos era a morte e a loteria, uma variante do destino. “A Babilônia não é outra coisa senão um jogo de azar infinito”, escreveu o argentino.

No mundo real, o câncer também é um jogo de azar infinito. Grande parte dos tumores conhecidos não ocorrem por fatores externos e evitáveis, como fumar, nem por razões hereditárias dos genes, mas também por puro azar. Agora, um estudo quantificou quanto pesa esse fator sorte no câncer. A má sorte se deve “a mutações aleatórias que ocorrem durante a divisão normal das células-mãe quando essas acontecem em genes que agem no desenvolvimento do câncer”, explica o estatístico e matemático da Universidade Johns Hopkins (EUA) Cristian Tomasetti, coautor do trabalho.

O bioestatístico Tomasetti ressalta duas conclusões importantes. Suzana Herculano-Houzel: What is so special about the human brain? Anatomia do prazer: clitóris e orgasmos. Texto de Érika Pellegrino. Anatomia é um conhecimento básico, que aprendemos de maneira mais intensiva no primeiro ano da faculdade de medicina, apesar de retornarmos ao tema o tempo todo durante o curso. Era a matéria que eu mais odiava, muito técnica, milhares de nomezinhos de origem grega ou latina pra criar todo um novo vocabulário e entendimento sobre o corpo que eu sabia que ia usar muito pouco na minha carreira de psiquiatra. Digo isso para me desculpar de antemão por alguma imprecisão ou dificuldade de passar o conhecimento. Não sou uma especialista e também não espero que esta pequena contribuição seja capaz de esclarecer toda a questão da anatomia feminina, já que com livros cheios de descrições e desenho, professores do lado, mesas com cadáveres e peças anatômicas dissecadas já era difícil entender o que ficava onde e para que.

Bom, então para que me proponho a escrever um texto que talvez seja de difícil compreensão sobre um assunto que nem gosto? Começando do começo.