background preloader

Escritos

Facebook Twitter

Por qué volver a leer a Horacio Quiroga: nueva visita al autor de los cuentos perfectos - 10.04.2017 - LA NACION. En 2017, se cumplen 80 años de su muerte y 100 de Cuentos de la selva, auténtico clásico hispanoamericano; sus relatos formaron a generaciones de escritores y de lectores desde la infancia.

Por qué volver a leer a Horacio Quiroga: nueva visita al autor de los cuentos perfectos - 10.04.2017 - LA NACION

Recetario de ecoedición: el continente también importa. Diário da tese (21): a versão final e o pós-tese. Passados dois meses e quase meio da defesa, eis que está disponível no LUME (sistema de biblioteca da UFRGS) a versão da tese entregue para a biblioteca e que será, definitivamente, a prova cabal de que defendi a tese e posso ser considerado um “doutor” pelos sistemas acadêmicos.

Diário da tese (21): a versão final e o pós-tese

Boa parte do material que usei, assim como alguns fichamentos, está disponível nesta página também. Passado esse tempo, já vejo o trabalho com outros olhos. Emetropolis n14. Diário da tese (21): a versão final e o pós-tese. COM O DOM DE CRIAR Marciolina criou oito... - Adriana Ruschel Duval. Pensamento Negro Contemporâneo. "Borges está vivo", el documental. "Borges está vivo" es el documental que los cineastas Mariano Cohn y Gastón Duprat dirigieron en homenaje a Jorge Luis Borges a 30 años de su muerte.

"Borges está vivo", el documental

Leé también: A 30 años de su muerte, Borges no deja de sorprender Play En este especial, el célebre autor se cruza con escritores jóvenes que eran chicos cuando él murió y que hoy lo leen y lo admiran. Mauro Libertella, Tamara Tenenbaum, Romina Paula y Luciano Lamberti son algunos de los escritores que comentan fragmentos de entrevistas, conferencias, coloquios y disertaciones de Borges. Además María Kodama, viuda del autor, cuenta cómo se conocieron y la anécdota del encuentro entre Borges y Mick Jagger. Leé también: Jorge Luis Borges y su pasión por “The Wall” de Pink Floyd y los Rolling Stones. Margens.com. O que escapa aos livros de História - Suplemento Pernambuco - Suplemento Cultural do Diário Oficial do Estado de Pernambuco. Falando em línguas: uma carta para as mulheres escritoras do terceiro mundo. O que escapa aos livros de História - Suplemento Pernambuco - Suplemento Cultural do Diário Oficial do Estado de Pernambuco.

Escribir es recortar. Mais de 50 livros do pensamento social latino-americano e caribenho prontos para baixar. National Novel Writing Month. Você tem 16 anos. Você é um Pedófilo. Você Não Quer Machucar Ninguém. E Agora, o Que Você Faz? — Medium Brasil. Carta de Graciliano Ramos para a irmã Marili: duro e valioso conselho a quem escrever. Rio, 23 de novembro de 1949.

Carta de Graciliano Ramos para a irmã Marili: duro e valioso conselho a quem escrever.

Marili: mando-lhe alguns números do jornal que publicou o seu conto. Retardei a publicação: andei muito ocupado estive alguns dias de cama, a cabeça rebentada, sem poder ler. Quando me levantei, pedi a Ricardo que datilografasse a Mariana e dei-a ao Álvaro Lins. Navilouca. Centro de Documentação D. Tomás Balduino - Acervo CPT Nacional. 150225_Zygmunt Bauman - Modernidade Líquida (p. 23-63).pdf.pdf. Eliane Brum: O pescador sem rio e sem letras. Otávio das Chagas tornou-se um não ser.

Eliane Brum: O pescador sem rio e sem letras

A hidrelétrica de Belo Monte o reduziu a um pescador sem rio, um pescador que não pesca, um pescador sem remos e sem canoa. A ilha do amazônico Xingu, no Pará, onde cresceu, amou Maria e teve nove filhos não existe mais. Cartografia. 5 depoimentos sobre Deleuze.pdf 5 resenhas de mil platôs.pdf Abecedário Deleuze (versão 1).pdf Abecedário Deleuze (versão 2).pdf AGAMBEN, Giorgio.

Cartografia

A potência do pensamento.pdf. Hemeroteca Digital Brasileira. Los muros han vuelto. Planos de Aula - Geledés. A desconstrução na e da política - Instituto Moreira Salles. Os inimigos íntimos da democracia - Todorov. Provocações - Luis Fernando Veríssimo - CeCAC. Por que reprovar não funciona? - Daniel Cara. Análises. Martín Caparrós: «Nadie puede estar cerca de Borges. Sarmiento, en cambio, sí era humano» Martín Caparrós tiene dos cicatrices en la cara, un bigote emblemático y un acentazo argentino que los kilómetros, en vez de atenuar, han acentuado. Es el escritor en español que más ha viajado por nuestro maltrecho mundo. Ahora mismo vive en Barcelona, pero rara es la semana que no está en París presentando una novela o en un pueblo de los Estados Unidos repleto de obesos o en un festival literario de Cartagena de Indias o en alguna región africana asolada por una crisis humanitaria, porque una de las razones por las que ha escogido la ciudad catalana como base de operaciones es que está bien conectada y que su próximo libro será una crónica monumental y comprometida —la está terminando de escribir: se titulará El hambre.

Así, con mayúsculas. Caparrós es de proyectos mayúsculos—. ¿Recuerdas cómo fue la primera vez que recibiste una caja con tus libros? La así denominada «cláusula Caparrós» es posterior. No existe, pero así la llaman algunos amigos. Si nadie lo leyó, no tengo bigote. Contra o racismo nada de bananas, nada de macacos, por favor! Por Douglas Belchior A foto da esquerda todo mundo viu.

Contra o racismo nada de bananas, nada de macacos, por favor!

É o craque Neymar com seu filho no colo e duas bananas, em apoio a Daniel Alves e em repulsa ao racismo no mundo do futebol. Estética.

Ficção

Publicações. Reportagens. Uma simples pergunta à queima-roupa. Textos interessantes. ROBERTO LIEBGOTT: “RURALISTAS USAM PEQUENOS COMO MASSA DE MANOBRA” Roberto Liebgott/ revista o Viés Roberto Antônio Liebgott é filósofo e há 23 anos acompanha e milita pela causa indígena como missionário leigo do Conselho Indigenista Missionário (CIMI), organismo vinculado à CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) que há décadas atua na defesa dos direitos e da autonomia dos povos indígenas no Brasil.

ROBERTO LIEBGOTT: “RURALISTAS USAM PEQUENOS COMO MASSA DE MANOBRA”

Nas últimas manifestações ocorridas em Porto Alegre, no início deste mês, quando indígenas e quilombolas reuniram-se com a finalidade de exigir do governador Tarso Genro (RS) uma posição sobre suposto anúncio de interrupção em demarcações de terras indígenas e quilombolas no estado, o missionário esteve presente auxiliando em vários âmbitos. CONTRADIÇÃO GAÚCHA. Obra de Pedro Weingärtner O gaúcho dos postais folclóricos, tema de quadros e poemas, tem pouco a vercom o peão que trabalha, na realidade, terras grandes e estranhas.

CONTRADIÇÃO GAÚCHA

As alpargatasocupam o lugar da bota de couro; um cinturão comum, ou às vezes um simplesbarbante, substitui os largos cinturões com adornos de ouro e prata. “As veias abertas da América Latina”, Eduardo Galeano A existência de instituições contemporâneas de culto à tradição gaúcha é tema de discussão constante entre intelectuais e militantes do tradicionalismo. Cotidiano - Opinião: 'Black bloc' visa chamar atenção de um Estado ausente - 17/10. O "black bloc" acontece nas ruas.

Cotidiano - Opinião: 'Black bloc' visa chamar atenção de um Estado ausente - 17/10

Esta afirmação aparentemente elementar nos motivou a sair de nossos cômodos ambientes universitários e ir para a rua buscar compreender este complexo fenômeno social que tantos desafios institucionais e tanta estupefação têm ocasionado na sociedade. Nossa rotina de pesquisa consiste em acompanhar muito de perto as manifestações, observar, perguntar, conversar com pessoas que utilizam a tática "black bloc", policiais e membros da imprensa. Das conversas que tivemos, e das observações que realizamos, ficou claro que para estes jovens a violência simbólica funciona como uma forma de se expressar socialmente, um elemento provocador que tem o intuito de captar a atenção de um Estado percebido como totalmente ausente. A nudez por trás do jaleco - ÉPOCA. Uma política de agroecologia para o Rio Grande do Sul. Data:7/jun/2013, 12h49min Agricultura familiar é responsável por 70% da produção de alimentos no Brasil A Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa aprovou, quinta-feira (6), o Projeto de Lei 213/2013, de autoria do deputado Altermir Tortelli (PT), que institui a Política Estadual de Agroecologia e de Produção Orgânica.

A proposta quer estimular a diversificação da produção agrícola e o consumo de alimentos orgânicos no Rio Grande do Sul. O projeto irá agora para votação no plenário. Ao defender a proposta, o deputado Tortelli destacou que, desde 2008, o Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo, o que traz sérias repercussões na esfera da saúde pública. O Brasil é hoje o maior mercado doméstico de agrotóxicos do mundo, ficando inclusive na frente dos Estados Unidos. R$ 39 bilhões para a agricultura familiar Na última quinta-feira, o governo federal anunciou o repasse de R$ 39 bilhões para o Plano Safra da Agricultura Familiar 2013/14.

O movimento Passe Livre e a política na Sociedade Informacional. O que está acontecendo nesses últimos dias no Brasil não é novo. E não pode ser pensado a partir das mesmas lógicas e padrões da sociedade industrial. É preciso buscar entender o tempo que estamos vivendo, como as dinâmicas de relação e poder se estabelecem e quais as novas demandas e padrões de luta. Não são questões fáceis e nem ensejam respostas precipitadas. O jogo é muito mais complexo no modelo atual. Como as empresas de ônibus maquiam custos. Por Fernando Souto. . * Remoção de rodovias urbanas é tendência ecológica mundial. Índios, mídia e bomba na maloca. Artigos interessantes.