background preloader

Humanidades

Facebook Twitter

Canclini_Nestor_Garcia_Culturas_hibridas. Negrao joao jornalismo construcao hegemonia. Internet Archive: Digital Library of Free Books, Movies, Music & Wayback Machine. Biblioteca do Comum. Masculinidades web. Revista piauí - Não controlamos o destino de nossos corpos. Eis aqui como tudo começou: certa manhã, acordei com uma pequena dor de cabeça.

revista piauí - Não controlamos o destino de nossos corpos

A cada hora a dor de cabeça aumentava. Eu estava indo para o trabalho quando vi a garota a caminho da escola. Meu aspecto era horrível, ela me deu um Advil e continuou seu trajeto. No meio da tarde, eu mal me aguentava em pé. Chamei meu supervisor. E eu não podia mais prever onde encontraria meus heróis. Tudo que eu queria então era escrever da mesma maneira que essa gente negra dançava, com controle, poder, alegria, calor.

Na biblioteca de Moorland[4] pude explorar as histórias e as tradições. A garota de tranças longas que operou uma mudança em mim, a quem eu tanto queria amar, amava um garoto em quem eu penso todo dia e em quem espero pensar a cada dia pelo resto de minha vida. Roda saberes dos saberes do cais do valongo. Amizades, vocês não sabem como fico... - Luiz Antonio Simas. Filosofia africana - início. O enigma do petisco. O palco e o mundo: Desarquivando o Brasil CXXV: Notas sobre Romero Jucá e os índios no Brasil. O lamentável governo interino, composto em parte por ex-ministros de outras gestões (inclusive da presidenta afastada), e que atende ao salutar critério de não escolher pessoas que não estejam no momento privadas de liberdade, contou por menos de duas semanas com o senador Romero Jucá.

O palco e o mundo: Desarquivando o Brasil CXXV: Notas sobre Romero Jucá e os índios no Brasil

O parlamentar foi ministro de Lula, líder (no senado) dos governos de Fernando Henrique Cardoso, Lula e Dilma, ocupou cargos nos governos de Sarney e de Collor. Sua notável carreira política, sempre ao lado do poder instituído, é um dos sinais da falta de renovação política, da ausência de justiça de transição (algo muito caro para uma das populações mais atingidas pela ditadura, os povos indígenas) e, não devemos esquecer, de efetividade da Justiça. Permaneceu doze dias no ministério do planejamento; sua queda decorreu do áudio de março deste ano, revelado pela Folha de S.Paulo e gravado por Sérgio Machado, investigado, ex-presidente da Transpetro e investigado na operação Lava-[a-]Jato.

Libro-e. El valor del pensamiento periférico. Suele ser un piropo que en ocasiones se le ofrenda a un ensayo: “Se lee como una novela”.

El valor del pensamiento periférico

Y aunque la amable comparación con un género que se supone más excitante es halagadora, los ensayistas tenemos claro que nada hay más arrebatador que el intento de calmar la perplejidad que produce el mundo dándole un sentido, con suerte un orden, empleando el pensamiento. Si la buena novela aumenta la complejidad de la existencia, añadiéndole preguntas y mostrando que detrás de todo lo conocido hay un universo oculto de deseos, pulsiones y emociones, el buen ensayo lanza un salvavidas para que no nos hundamos en la zozobra de los días.

Entre gustos no hay disgustos y una buena dosis de uno no contradice las promesas del otro. La novela y el ensayo responden a dos vicios de la mente, a dos profundas e inagotables fuentes de placer humano. Questão Racial - Nexo Jornal. Index Neste 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, o ‘Nexo’ traz uma seleção de conteúdos que abordam o tema Calouro comemora resultado do vestibular da UnB Protesto após assassinato de cinco jovens por PMs em Costa Barros, no Rio de Janeiro, em novembro de 2015.

Questão Racial - Nexo Jornal

Revista piauí - Trump e os limites da democracia. O modo como a presente – e distópica – campanha eleitoral pela Presidência dos Estados Unidos tem se processado me faz recordar com frequência uma passagem de A República, de Platão.

revista piauí - Trump e os limites da democracia

É um trecho que me perturbou e me surpreendeu desde a primeira vez em que o li, na pós-graduação. Faz parte do diálogo entre Sócrates e seus amigos sobre a natureza dos diferentes sistemas políticos – sobre o modo como esses sistemas mudam ao longo do tempo, e como alguns deles podem lentamente acabar se transformando em outros. Na conversa, Sócrates se mostra bastante assertivo acerca de um ponto preocupante. “É provavelmente a partir da democracia, e de nenhum outro regime, que a tirania se estabelece”, ele afirma. As 10 mentiras mais contadas sobre os indígenas - Portal Fórum. As afirmações listadas abaixo foram extraídas da vida real.

As 10 mentiras mais contadas sobre os indígenas - Portal Fórum

Algumas nas ruas do interior do Brasil, outras nas cidades grandes, outras em discursos de políticos. Percepções diversas, vindas de pessoas com histórias diferentes, mas com um direcionamento em comum: a disseminação do discurso anti-indígena com argumentos falsos. Las simbologías de culturas ancestrales, en una compilación. El sorprendente mundo de la simbología ancestral revela el ADN cultural de la identidad de los ecuatorianos.

Las simbologías de culturas ancestrales, en una compilación

Como dice el antropólogo Juan Martínez Yánez: “La diversidad de la iconografía de pueblos ancestrales es lo que está en el Ecuador profundo, en la piel del país”. Hace dos años, Martínez y un equipo profesional de la fundación Sinchi Sacha se propusieron investigar, sistematizar y registrar los íconos del patrimonio ancestral del país. Los poderes de la historia (y de los historiadores) “Un fantasma recorre nuestra época: el fantasma del corto plazo”.

Los poderes de la historia (y de los historiadores)

As imagens, os corpos e o resto. Diante do espelho uma criança observa-se com júbilo e é apresentada a um corpo inteiro, a uma unidade corporal que a livra da angústia de um corpo fragmentado.

As imagens, os corpos e o resto

Um corpo ganha forma aí, pela imagem refletida no espelho. A duplicação do corpo, a imagem com a qual a criança gesticula, brinca, anima, revela, explica Lacan, uma “estrutura ontológica do mundo humano”[1]. Mais além do “contra o golpe”: subsídios para uma analítica do campo de luta. Resumo O artigo apresenta a noção de crise como modo de governo a partir das análises de Michel Foucault.

Mais além do “contra o golpe”: subsídios para uma analítica do campo de luta

Questiona a noção de golpe utilizada para caracterizar o processo de impedimento da presidenta Dilma Rousseff. A máquina de fazer ativistas não respeita subjetividades. É comum nos movimentos sociais a ideia de coletividade ser colocada acima do indivíduo. Afinal, o lema dos movimentos que defendem as esferas oprimidas da sociedade é o “juntos somos mais forte”. Por Stephanie Ribeiro, do HuffPost Brasil O que é preciso entender é que por trás do coletivo sempre existiu e existirá o indivíduo e que esse indivíduo sempre terá suas buscas (e isso não necessariamente é ser individualista, muito menos significa despreocupação com as pautas e lutas em prol de todos). Meu atual esforço — como mulher negra e ativista que sou — também se baseia em demarcar minha posição enquanto sujeito e, para isso, existe a necessidade de que respeitem as minhas escolhas e subjetividades.

Porém, não é fácil. A Tirania das Organizações Sem Estrutura. A Tirania das Organizações Sem Estrutura Artigo de Jo Freeman, 1970 Durante os anos em que o movimento feminista se formava, dava-se grande ênfase ao que se chamava de grupos sem estrutura, sem liderança, como a forma principal do movimento. Essa idéia tinha origem numa reação natural contra a sociedade superestruturada na qual a maioria de nós se encontrava, no controle inevitável que isso dava a outros sobre nossas vidas e no elitismo persistente da esquerda e de grupos similares entre aqueles que supostamente combatiam essa superestruturação. A idéia da "ausência de estrutura", no entanto, passou de uma oposição saudável a essas tendências a um dogma.

Memórias do Cais do Valongo (subtitle in english) Manifesto contra o trabalho. Um cadáver domina a sociedade – o cadáver do trabalho. Todas as potências do globo estão coligadas em defesa desta dominação: o Papa e o Banco Mundial, Tony Blair e Jörg Haider, sindicatos e empresários, ecologistas alemães e socialistas franceses. Todos eles só têm uma palavra na boca: trabalho, trabalho, trabalho.

Cada um tem que poder viver do seu trabalho, reza o princípio em vigor. Poder viver é, portanto, algo que está condicionado pelo trabalho, e não há direito à vida onde esta condição não estiver preenchida.Johann Gottlieb FichteFundamentos do Direito Natural segundo os Princípios da Doutrina da Ciência, 1797. Quem ainda não desaprendeu de pensar reconhece sem dificuldade a inconsistência desta posição.

Quem não trabalha, não come! Las voces del exilio - Memorias de colombianos en el exterior. Gil dá sua definição de Deus. Página Inicial - CNV - Comissão Nacional da Verdade. O golpe e os golpeados. Sheila da Silva desceu o morro do Querosene para comprar três batatas, uma cenoura e pão. Ouviu tiros. Não parou. Apenas seguiu, porque tiros não lhe são estranhos. Sheila da Silva começava a escalar o morro quando os vizinhos a avisaram que uma bala perdida tinha encontrado a cabeça do seu filho e, assim, se tornado uma bala achada.

Ela subiu a escadaria correndo, o peito arfando, o ar em falta. A cena ocorreu em 10 de junho, no Rio de Janeiro. Nao.usem.xyz.  Negritude no hospício - No primeiro hospital psiquiátrico da América Latina, pacientes e o diretor comprovam os efeitos crudelíssimos do racismo na formação da personalidade do povo brasileiro. Curtas Negritude no hospícioNo primeiro hospital psiquiátrico da América Latina, pacientes e o diretor comprovam os efeitos crudelíssimos do racismo na formação da personalidade do povo brasileiro. Parte1. [Afrofuturismo] O Herói com rosto africano. [Afrofuturismo] O Herói com rosto africano O poder do mito africano na construção do caráter, o fazer ficcional que transcende a vitimização, a insuficiência da representatividade e a perspectiva africana como centro da criação - Veja também: [Afrofuturismo] O futuro é negro — o passado e o presente também Os debates e os interesses ao redor do Afrofuturismo tem crescido nos últimos tempos.

Muito tem sido dito e escrito a respeito, e muito mais ainda está por vir. Este artigo, assim como o artigo anterior, reflete a questão que me cabe: o fazer ficcional e o papel do mito na construção do nosso caráter. Matem o mito. Adeus, Macunaíma! Porque, afinal, ele está morto, e com ele deveria sucumbir essa condescendência tão tipicamente paulista, a que fez do “nenhum caráter” apanágio da malandragem mestiça, refúgio sentimental da brasilidade recôndita, narrativa apascentadora em face do extermínio antigo, moderno e contemporâneo dos povos da floresta. Que mais ilumina essa Ursa Maior melindrosa, além das covas rasas dos milhões de desterrados sem escrita, sem nome nem memória?

Será mesmo uma rapsódia que o bardo Andrade quis solfejar, ou tudo não passou de uma pastoral turístico-aprendiz, uma visão triste-sorridente dos enredos dispostos por Koch-Grunberg, uma brincadeira para enganar o calor e salvar-se do spleen araraquarense? O SAMBA É UM DESCONFORTO POTENTE.... - Luiz Antonio Simas. Provocações e Disparates: Os involuntários da pátria - Eduardo Viveiros de Castro. Hoje os que se acham donos do Brasil — e que o são, em ultimíssima análise, porque os deixamos se acharem, e daí a o serem foi um pulo (uma carta régia, um tiro, um libambo, uma PEC) — preparam sua ofensiva final contra os índios.

Há uma guerra em curso contra os povos índios do Brasil, apoiada abertamente por um Estado que teria (que tem) por obrigação constitucional proteger os índios e outras populações tradicionais, e que seria (que é) sua garantia jurídica última contra a ofensiva movida pelos tais donos do Brasil, a saber, os “produtores rurais” (eufemismo para “ruralistas”, eufemismo por sua vez para “burguesia do agronegócio”), o grande capital internacional, sem esquecermos a congenitamente otária fração fascista das classes médias urbanas. Estado que, como vamos vendo, é o aliado principal dessas forças malignas, com seu triplo braço “legítimamente constituído”, a saber, o executivo, o legislativo e o judiciário. 2016. Conflito – IMAGINAVC. Diariamente somos confrontados com opiniões diferentes das nossas. Parece óbvio que cada pessoa possa ter sua opinião e que em situações de conflito elas sejam expostas e discutidas buscando achar um ponto comum ou estabelecer um contraponto.

Mas uma conversa com alguém que tenha uma opinião diferente, seja sobre o resultado do jogo de futebol ou sobre o conceito de quando começa a vida, frequentemente acaba mal. Por que algo que parece óbvio é tão difícil na prática? O RECADO DA MATA – Eduardo Viveiros de Castro prefacia “A Queda do Céu” de Davi Kopenawa e Bruce Albert. El ensayo fotográfico que muestra el sinsentido de las fronteras. Poder Judiciário viola a Constituição e expõe sua face justiceira aos holofotes da mídia. Entrevista especial com José Carlos Moreira da Silva Filho. REVISTA PUNKTO: Por uma teoria da potência destituinte \ Giorgio Agamben. El arte del relato: entre la ficción y la realidad, siempre. O comprimento das cadeias. Cartografia do Manifesto Antropófago (Maria Carolina de Almeida Amaral; orientação: Alexandre Nodari)

18 textos essenciais para estudos e pesquisas sobre gênero e sexualidade. Para ler e baixar! - Erosdita. Cor: invisível. Revolução Farroupilha, 1844, Batalha de Porongos « Sul21. Untitled. FLANAGENS: Monograma XV - Jean-Luc Nancy. CURRÍCULO VIRA-LATAS (reproduzido porque... - Luiz Antonio Simas. Missão Mário de Andrade: uma viagem pela cultura popular inspirada nas pesquisas do escritor. Photos du journal - Cidadania e Diversidade. Uma lista de singularidades: porque o Brasil é tão difícil de explicar. Sonho brasileiro. Sonho brasileiro. 150 canciones para trabajar la prevención de la violencia de género en el marco educativo. 13 livros infantis para ensinar a importância dos direitos humanos às crianças. Lionel Fischer. Mia Couto - Mia Couto: repensar o pensamento, redesenhando fronteiras. Abu! ele adora, ele odeia. Eduardo Viveiros de Castro - A revolução faz o bom tempo. Conheça o móvel que pode revolucionar o espaço do seu quarto.

Eliane Brum: Para Brasília, só com passaporte. Áudios - Cânticos gravados em 1958 pelo estudioso Pirre Verger. Novo app permite que você acompanhe de perto os projetos de lei que tramitam no Brasil – MacMagazine.com.br. El periodismo según Monsanto - Revista Anfibia. Encontroteca - A biblioteca online da cultura popular e tradicional brasileira. Otros Carnavales. Www.ccst.inpe.br/wp-content/uploads/2014/10/Futuro-Climatico-da-Amazonia.pdf. Teoria dos Privilégios: uma política da derrota : Passa Palavra. Direitos Humanos. La cultura de la violación. Guía para el caballero. CNV - Comissão Nacional da Verdade - CNV - Comissão Nacional da Verdade.

Historiadores traduzem única autobiografia escrita por ex-escravo que viveu no Brasil. Toques e Tambores no candomblé. (A.H.F) Utopia e Barbárie. Sarah Kay: Se eu tiver uma filha ... Território do BrincarTerritório do Brincar. No_Brasil_todo_mundo_é_índio.pdf. 25 Of The Most Dangerous And Unusual Journeys To School In The World. A prisão sem defesa prévia é a causa da violência, não a sua solução. Mia Couto: "A África que existe na cabeça das pessoas é folclorizada" - Por dentro da África. El Malpensante. Identidade - Fernando Meirelles. Mediação Comunitária. 64 anos do Nakba: A limpeza étnica da Palestina e as responsabilidades ocidental e brasileira. Bagatela Clara Ramos.

Cimi.org.br/pub/RelatorioViolencia_dados_2013.pdf. O aborto legal: dor em dobro. La Revolucion es Ahora! DOCU - Pensamento Indígena. Viveiros de Castro Eduardo - Encontros. Macumba Antropófaga - Teatro Oficina Uzyna Uzona. O Complexo de Vira-latas - Documentário. O nosso tempo, então, é o tempo da diferença fazendo o seu jogo, o tempo da diferença proliferante. (Antônio Flávio Pierucci) Vozes do passado: músicas de morrer idiomas.

O poeta e a cidade, W. H. Auden. O que aprendi com a desescolarização. Antropologia Visual ABA: BIBLIOGRAFIA BÁSICA DE ANTROPOLOGIA VISUAL. Eduardo Viveiros de Castro - A morte como quase acontecimento.