SOCIEDADE

Facebook Twitter

Para entender porque o WikiLeaks cheira mal: a diferença que faz o ontem e o agora. Tem sido um frenesim dos antigos.

Para entender porque o WikiLeaks cheira mal: a diferença que faz o ontem e o agora

Já não via um ataque assim à Imprensa e ao jornalismo, por parte das Pessoas Antes Conhecidas Por Leitores (PACPL), desde o tempo em que se reclamava que os blogs eram o fim dos jornais e os bloggers iam substituir -- com evidentes vantagens -- os jornalistas. Isto foi em 2003 e ainda estou à espera. (De caminho, os sites dos jornais quintuplicaram as audiências, o grosso dos blogs teve crescimento quase proporcionalmente inverso e a maioria dos que ficaram luta para ver quem mais cita os jornais, plantando um linkezito nos twingles -- enfim, detalhes sem importância alguma, naturalmente.) Os resultados do teste: chumbo (quase) redondo. Rui Tavares tem abordado, nas suas crónicas no jornal “Público” - normalmente ricas, concorde-se ou não com tudo o que defende – a questão Wikileaks.

Os resultados do teste: chumbo (quase) redondo

Essas crónicas podem , depois, ser lidas no seu blogue. Como tese geral, destaco que considera que a divulgação de documentos levada a cabo por aquela organização é positiva (muito positiva, até), enquadrando-a na liberdade de expressão e na concretização do princípio fundamental de que o segredo nunca pode ser a regra, mas a excepção. No seu último texto sobre o assunto, que pode ser lido aqui, sustenta que o nosso comportamento perante este tipo de divulgação é, de alguma forma, um teste à liberdade de expressão e à democracia, julgando preocupante – e comparável a comportamentos similares de regimes autroritários – o “ataque” que tem sido feito à Wikileaks e à sua cabeça mais visível (Assange), entretanto detida.

A liberdade na Internet só interessa para chatear o chinês. Um senhor simpático chamado Pedro Sales escreveu naquela coisa chamada Twitter: a não perder: Hilary Clinton, na China, defende a liberdade de informação na net como forma escrutínio dos governos: Dizia a senhora Clinton, em Janeiro deste ano (os negritos são da minha responsabilidade): During his visit to China in November, President Obama held a town hall meeting with an online component to highlight the importance of the internet.

A liberdade na Internet só interessa para chatear o chinês

In response to a question that was sent in over the internet, he defended the right of people to freely access information, and said that the more freely information flows, the stronger societies become. Hackers bloqueiam site de banco suíço que fechou conta do WikiLeaks - 07/12/2010 - UOL Entretenimento - Notícias - EFE. Genebra, 7 dez (EFE).- Hackers simpatizantes do fundador do portal Wikileaks, Julian Assange, bloquearam a página de internet do banco suíço PostFinance, depois de a entidade ter fechado a conta do australiano.

Hackers bloqueiam site de banco suíço que fechou conta do WikiLeaks - 07/12/2010 - UOL Entretenimento - Notícias - EFE

O porta-voz do banco afirmou à agência de notícias suíça "ATS" que a página estava bloqueada desde as 19h30 (horário de Brasília) de segunda-feira, em um "ataque" que relaciona ao fechamento da conta de Assange. O PostFinance, braço financeiro dos Correios da Suíça, decidiu ontem fechar a conta do fundador do WikiLeaks aberta para receber doações dos seguidores de seu site após o anúncio de que o PayPal, através do qual o portal recebia doações, tinha optado também por fechar sua conta. Revealed: Assange ‘rape’ accuser linked to notorious CIA operative | Raw Story. By David EdwardsMonday, December 6, 2010 15:43 EDT One of the women accusing WikiLeaks founder Julian Assange of sex crimes appears to have worked with a group that has connections to the US Central Intelligence Agency (CIA).

Revealed: Assange ‘rape’ accuser linked to notorious CIA operative | Raw Story

James D. O nosso teste. “Vastos ataques por parte de uma China que tem medo da internet”.

O nosso teste

Este era o título do New York Times na passada sexta-feira. No seu contexto, vale tudo o que se tem dito nos últimos dias sobre a wikileaks, cujos documentos — ironicamente — o New York Times usava para narrar a repressão chinesa, em 2009, contra o google. Nesse mesmo dia um poderoso senador americano exigia que todas as companhias do seu país cessassem contactos com a wikileaks. After Wikileaks: The Promise of Internet Freedom, For Real. The conflict between Wikileaks and the U.S.

After Wikileaks: The Promise of Internet Freedom, For Real

Government reminds me of something we've been experiencing for some years now in the private sector of corporate activity and social enterprises. Lots of hierarchical, top-down, closed fortress organizations have been discovering that they need to open up, accept that the internet is dispersing power to the edges and into the hands of free agents, a.k.a. the people who used to be their audience. Library of Congress Blinds Hill's Researchers to Wikileaks. If a big takeaway from l'affair Wikileaks is that there's tremendous power in the networked world's ability to ripple out information, Steven Aftergood has a story on the flip-side of that power.

Library of Congress Blinds Hill's Researchers to Wikileaks

Decisions about who gets to see what online can be more impactful than they might first look just because the way we get information these days is so integrated. The Library of Congress, it was reported last week, quickly moved to block Wikileaks in-house. One ripple effect? That means that researchers inside the Congressional Research Office, the Hill's research wing, are finding that they're cut off from the site too, and thus unable to make Congress smarter about what it is that Wikileaks is up to.

Wikileaks Now Has Over 500 Mirrors. As of this morning, Wikileaks had over 500 mirrors around the world, and is providing visitors with step-by-step instructions on how to create new mirrors.

Wikileaks Now Has Over 500 Mirrors

The instructions ask would-be hosts set up an account for Wikileaks on their web host, set aside some space, and fill out a web form with all the info the Wikileaks staff would need to know in order to log in and set up a mirror. Wikileaks staff would then log in and set up a mirror of its site, including, presumably, the over 250,000 leaked, (formerly) secret U.S. diplomatic communications it has slowly been releasing since Nov. 28 in cooperation with news organizations around the world. The call to create mirrors for Wikileaks came after Wikileaks' free domain name service provider, EveryDNS, for fear of the heat that would surely come with being part of the infrastructure for such controversial information, stopped providing service to the organization last week.

WikiLeaks Ready to Release Giant 'Insurance' File if Shut Down. Julian Assange, the WikiLeaks founder, has circulated across the internet an encrypted “poison pill” cache of uncensored documents suspected to include files on BP and Guantanamo Bay.

WikiLeaks Ready to Release Giant 'Insurance' File if Shut Down

One of the files identified this weekend by The Sunday Times — called the “insurance” file — has been downloaded from the WikiLeaks website by tens of thousands of supporters, from America to Australia. Assange warns that any government that tries to curtail his activities risks triggering a new deluge of state and commercial secrets. Um tratado sobre o jornalismo português numa página do Google News. Teixeira dos Santos foi mais uma vez avaliado pela imprensa especializada. E o veredicto é o de sempre: trata-se de um dos piores ministros do ramo na Europa – 16.º em 19.

Agora divertido é ver o eco desta notícia em Portugal. A coisa evolui desde um laudatório «Teixeira dos Santos é 16.º melhor ministro das Finanças» (da oficial Lusa e do oficioso DN) até ao cáustico mas verídico «Teixeira dos Santos relegado quase para o final do "ranking"», do Público. Já conhece Janus.net? O SOS Racismo já não é teenager. O SOS Racismo faz vinte anos. De 7 a 10 de Dezembro muitas actividades vão assinalar este aniversário.

Na terça-feira, tudo se passará na Cinemateca, com a apresentação do filme SOS Racismo – 20 anos a quebrar tabus e de diversas curtas. Nos dias seguintes, quarta-feira (feriado), quinta e sexta, as coisas passam-se no Clube Ferroviário, em Santa Apolónia. The Army Won't Be Safe for Homoeroticism If It Lets In Gays | The Atlantic Wire. This is a new one. The military has to ban gays so that its soldiers can indulge in homoeroticism, The Daily Beast's Brendan Tapley writes. In every other social setting, men are straight-jacketed in their relationships with each other, unable to form the bonds that only 100 years ago were proudly celebrated as love. "Paradoxical though it may sound," Tapley writes, Don't Ask Don't Tell "actually ensures is that men still have a place to experience male-male intimacy without being called gay. "

De quando uma pergunta simples se torna numa complexidade de intolerância. De Tiago Santos a 07.12.2010 às 05:24 Cara Palmira... Acho que já esta embrenhada demais nos seus argumentos e não está a atingir aquilo que estão a criticar neles exactamente. A questão é que chegou-se a uma altura em que qualquer pessoa parece estar a entrar no ponto de desistir de debater o que quer que seja consigo. Todos os dias venho a este blogue e fico com a impressão que não vale a pena comentar porque é apenas mais um comentário em saco roto porque eu pareço estar, por definição, errado.