background preloader

Filosofia

Facebook Twitter

Gottfried Wilhelm Leibniz. Gottfried Wilhelm Leibniz (IPA: [ˈɡɔtfʁiːt ˈvɪlhɛlm ˈlaɪbnɪts],[1] Leipzig, 1 de julho de 1646 — Hanôver, 14 de novembro de 1716) foi um polímata, filósofo, cientista, matemático, diplomata e bibliotecário alemão. Biografia[editar | editar código-fonte] Gottfried Wilhelm Leibniz era filho de um professor de filosofia moral em Leipzig que morreu em 1652, quando Leibniz tinha apenas seis anos. Em 1663 ingressou na Universidade de Leipzig, como estudante de Direito. Em 1666 obteve o grau de doutor em direito, em Nuremberg, pelo ensaio prenunciando uma das mais importantes doutrinas da posterior filosofia. Nessa época afilia-se à Sociedade Rosacruz, da qual seria secretário durante dois anos. Na visão que teve da existência de uma "característica universal", Leibniz encontrava-se dois séculos à frente da época, no que concerne à matemática e à lógica.

Aos 22 anos, foi-lhe recusado o grau de doutor, alegando-se juventude. Morreu solitário e esquecido. Filósofo[editar | editar código-fonte] Giambattista Vico. Giambattista Vico ou Giovan Battista Vico (Nápoles, 23 de junho de 1668 — Nápoles, 23 de janeiro de 1744) foi um filósofo político, retórico, historiador e jurista italiano, reconhecido como um dos grandes pensadores do período iluminista, apesar de ter sido, em certa medida, um crítico do projeto iluminista.[1] Em seu tempo, Vico era relativamente desconhecido fora de Nápoles, mas, a partir do século XIX, suas ideias despertaram interesse e passaram influenciar filósofos e cientistas sociais do Ocidente.[2] A infância[editar | editar código-fonte] Vico nasceu como o sexto dos oito filhos de Antonio Vico e Candida Masulio.

Foi-lhe dado este nome por causa de São João Batista, e foi batizado na Igreja Católica, à qual permaneceu leal toda a vida. Desde a primeira infância ele combinou um agudo e amplo intelecto com um insaciável amor ao conhecimento, e muito da sua educação se deu na livraria de seu pai. Os estudos e a carreira[editar | editar código-fonte] Referências. Viktor Frankl. Viktor Emil Frankl (Viena, 26 de março de 1905 — Viena, 2 de setembro de 1997) foi um médico psiquiatra austríaco, fundador da escola da logoterapia, que explora o sentido existencial do indivíduo e a dimensão espiritual da existência. Biografia e cronologia[editar | editar código-fonte] Em 26 de Março: Viktor Emil Frankl nasce em Vienna; Ele é o segundo filho de três crianças. Sua mãe se chamava Elsa Frankl e seu pai Gabriel Frankl.

Seu pai trabalhava como diretor no Ministério de Serviço Social, e migrou de Moravia. Durante a I Guerra Mundial sua familia vivenciou amargas dificuldades; Algumas vezes Viktor Frankl teve de mendigar nas fazendas proximas para conseguir alimento. Na época que cursava o Ginásio, Frankl teve contato com "Nature Philosophers" e tambem frenquentou palestras publicas sobre Psicologia Aplicada. Nesta fase Frankl começa a estudar Psicanálise. Viktor Frankl dá sua primeira palestra: "On the Meaning of Life". Sua relação com Alfred Adler se torna cada vez mais fraca. Matias Aires. Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Biografia[editar | editar código-fonte] Foi notável literato e naturalista e grande amigo do malogrado António José da Silva, o Judeu, que procurou ardentemente salvar da fogueira, o que não conseguiu.[6] Escreveu obras em Francês e Latim e foi também tradutor de clássicos latinos.

É considerado por muitos o maior nome da Filosofia de Língua Portuguesa do seu tempo. Em Reflexões sobre a Vaidade dos Homens, cuja primeira edição é de 1752, o autor tece suas reflexões a partir do trecho bíblico extraído do Eclesiastes: Vanitas vanitatum et omnia vanitas, ou seja, "Vaidade das vaidades, tudo é vaidade". Inocêncio Francisco da Silva informa no seu dicionário que "Quanto à data de seu óbito é por ora ignorada, sabendo-se contudo que já era falecido no ano de 1770".[4] Ernesto Ennes[3] informa data de 10 de dezembro de 1763, a partir de documentação comprobatória.

Obras[editar | editar código-fonte] Aires, Matias, 1705-1763 (1752). Referências. Otto Maria Carpeaux. Biografia[editar | editar código-fonte] Foi filho único[4] de Max Karpfen, um profissional autônomo e judeu, e de Gisela Schmelz Karpfen, dona de casa e católica. Nascido na capital do Império Austro-Húngaro, em 9 de março de 1900, onde cursou o ginasial. Seguiu o Judaísmo por sugestão do pai, mas conhecia os ritos católicos. Otto Maria Carpeaux (então Otto Karpfen) ingressou na faculdade de direito por sugestão familiar, abandonando-a um ano depois.

Entre os anos de 1920 e 1930 estudou no Instituto de Química da Universidade de Viena, mas nunca exerceu a profissão.[4] Nessa época frequentava os círculos literários de Viena e conferências públicas de Karl Kraus.[4] Também estudou filosofia (doutorou-se em 1925), matemática (em Leipzig), sociologia (em Paris), literatura comparada (em Nápoles) e política (em Berlim); além de dedicar-se à música.

No Brasil[editar | editar código-fonte] Ao desembarcar, nada conhecia da literatura brasileira, nada sabia do idioma e não tinha conhecidos. Freedomain Radio – Home. Friedrich Wilhelm Joseph Schelling - Wikipedia. German philosopher Friedrich Wilhelm Joseph Schelling (German: [ˈfʁiːdʁɪç ˈvɪlhɛlm ˈjoːzɛf ˈʃɛlɪŋ];[13][14][15][16] 27 January 1775 – 20 August 1854), later (after 1812) von Schelling, was a German philosopher.

Standard histories of philosophy make him the midpoint in the development of German idealism, situating him between Johann Gottlieb Fichte, his mentor in his early years, and Georg Wilhelm Friedrich Hegel, his one-time university roommate, early friend, and later rival. Interpreting Schelling's philosophy is regarded as difficult because of its evolving nature. Schelling's thought in the large has been neglected, especially in the English-speaking world. An important factor in this was the ascendancy of Hegel, whose mature works portray Schelling as a mere footnote in the development of idealism. Life[edit] Early life[edit] Schelling studied the Church fathers and ancient Greek philosophers. Jena period[edit] In his Jena period, Schelling had a closer relationship with Hegel again. Josiah Royce - Wikipedia. Josiah Royce (/rɔɪs/; November 20, 1855 – September 14, 1916) was an American objective idealist philosopher. Life[edit] Royce, born in Grass Valley, California, on November 20, 1855.

He was the son of Josiah and Sarah Eleanor (Bayliss) Royce, whose families were recent English emigrants, and who sought their fortune in the westward movement of the American pioneers in 1849. He received the B.A. from the University of California, Berkeley (which moved from Oakland to Berkeley during his matriculation) in 1875 where he later accepted an instructorship teaching English composition, literature, and rhetoric. While at the university, he studied with Joseph LeConte, Professor of Geology and Natural History, and a prominent spokesperson for the compatibility between evolution and religion.

Historiography[edit] Grass Valley Library Royce Branch Philosophy[edit] The years between 1882 and 1895 established Royce as one of the most eminent American philosophers. Absolutism and temporalism[edit] Stefan Molyneux. Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Stefan Basil Molyneux (Athlone, 24 de setembro de 1966) é um blogueiro, ensaísta, autor e dirigente do programa de rádio Freedomain Radio, em séries de podcasts. Formou-se em História pela Universidade McGill, com pós graduação na Universidade de Toronto. Vive em Mississauga, no Canadá. Escreveu vários artigos e ensaios menores que foram publicados em websites libertários, como no LewRockwell.com, antiwar.com e Strike the Root.

No Brasil, foi convidado a participar do debate The Function of the State in Society ("A função do Estado na Sociedade") promovido pelo Instituto Mises Brasil, e com a participação do professor de filosofia da Universidade de São Paulo Vladimir Safatle.[1] Livros publicados[editar | editar código-fonte] Ficção[editar | editar código-fonte] Revolutions (2002)The God of Atheists (2007) Não-ficção[editar | editar código-fonte] Referências Ligações externas[editar | editar código-fonte] |image = Brasileiros Pocotó: reflexões sobre a mediocridade que assola o Brasil « Brejo dos Pensamentos. Você já teve a sensação alguma vez na sua vida típica de brasileiro de que o país, o povo, está emburrecendo?

Já ficou chateado e frustrado com a qualidade da programação televisiva? Ou já ficou indignado com o ranking dos livros mais vendidos? Pois é, essa é a mesma queixa de que Luciano Pires, autor de Brasileiros Pocotó, compartilha. E ele fala com autoridade sobre o assunto: possui 57 anos, cresceu na vida com méritos próprios, hoje é executivo de uma grande empresa e viaja país afora palestrando sobre negócios e a peculiar personalidade do brasileiro. O livro teve a primeira edição em 2003 e conta uma novilha em folha em versão digital à venda no site da Amazon Brasil (aqui). O autor teve como umas das primeiras profissões a função de chargista (cada capítulo do livro é ilustrado com uma). Houve uma catarse. Com observações engraçadas, o brasileiro é apresentado como um ser único do mundo cuja visão é diferente de todos os demais cidadãos do mundo.

Curtir isso: Curtir Carregando... Thomas Sowell. Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Citações[editar | editar código-fonte] "Quando você quer ajudar as pessoas, conte a verdade. Quando você quer ajudar a si próprio, conte o que elas querem ouvir. " - Barbarians Inside the Gates "Eu nunca entendi por que é "ganância" querer manter o dinheiro que você ganhou, mas não é ganância querer tomar o dinheiro dos outros. " "Algumas pessoas no corredor da morte hoje poderiam não estar lá se os tribunais não tivessem sido lenientes com eles quando eram réus primários.

" "Competição faz um trabalho muito mais eficiente que o governo em proteger consumidores. " - Compassion Vs. "A primeira lição da economia é a escassez: nunca há o bastante de algo para satisfazer todos aqueles que o querem. . - Is Reality Optional? "É incrível como algumas pessoas acham que nós não podemos pagar médicos, hospitais e medicamentos, mas pensam que nós podemos pagar por médicos, hospitais, medicamentos e toda a burocracia governamental para administrar isso. " Referências. Guten Morgen 33: Crise intelectual – Senso Incomum. Gguten Morgen, Brasilien! Neste episódio de nosso podcast, comentamos a crise intelectual pela qual passa o Ocidente.

Afinal, como uma civilização de valor universal, invejada por quem a vê de fora, criada por intelectuais eternos como Sócrates, desconstruída por intelectuais históricos como Voltaire, pôde decair ao nível intelectual de Leandro Karnal, Mario Sergio Cortella ou Clóvis de Barros Filho? Não se trata, ao contrário do que se divulga, de mera decadência de poderio sináptico de nossos intelectuais. Menos ainda do famoso “vá estudar!” Que permeia as discussões de Facebook, com sua patética tentativa de serem intelectualmente relevantes. É muito mais uma questão do que subjaz ao discurso intelectual: antes de destreza mental, a crise intelectual concerne muito mais às virtudes que homens precisam possuir para avançar na sua existência, como a coragem.

Ninguém mais apropriado neste momento do que o intelectual anti-intelectual Nassim Nicholas Taleb. Egos inflados: Cheios de si e vazios de gente. De repente, um sujeito dirigindo com o celular na mão, o que já é errado, para na esquina de um cruzamento para poder ver melhor a sua conversa no “Whats” ou uma foto que achou legal no “Insta”, e demora cerca de um ou dois minutos, tempo suficiente para formar um congestionamento de carros, com pessoas esperando a benevolência do motorista hi-tech para poderem adentrar na avenida e chegarem aos seus rumos.

Bom, o que poderia ser uma descrição fictícia, é real e tenho certeza que compartilhada por todos. O que leva um indivíduo a ter uma atitude como essa? Sem dúvida, poderemos encontrar a resposta no egocentrismo, aquele velho ego inflado, que se acha o dono do pedaço e não está nem aí para ninguém, além de si próprio, é claro. Pessoas egocêntricas acreditam que tudo gira em seus entornos, portanto, pode-se fazer de tudo, inclusive, prejudicar outras pessoas com o comportamento praticado, afinal, todos estão ali para servir “o reizinho”. VIA: CONTI outra Pensador Anônimo. A triste geração que tudo idealiza e nada realiza. Demorei sete anos (desde que saí da casa dos meus pais) para ler o saquinho do arroz que diz quanto tempo ele deve ficar na panela. Comi muito arroz duro fingindo estar “al dente”, muito arroz empapado dizendo que “foi de propósito”.

Na minha panela esteve por todos esses anos a prova de que somos uma geração que compartilha sem ler, defende sem conhecer, idolatra sem porquê. Sou da geração que sabe o que fazer, mas erra por preguiça de ler o manual de instruções ou simplesmente não faz. Sabemos como tornar o mundo mais justo, o planeta mais sustentável, as mulheres mais representativas, o corpo mais saudável. Entendemos que as BICICLETAS podem salvar o mundo da poluição e a nossa rotina do estresse. Preferimos escrever no computador, mesmo com a letra que lembra a velha Olivetti, porque aqui é fácil de apagar. Somos aqueles que acham que empreender é simples, que todo mundo pode viver do que ama fazer.

Acreditamos piamente na co-criação, no crowdfunding e no CouchSurfing. Mário Ferreira dos Santos - Sobre a Verdade. Seminário de Filosofia. William Hazlitt's Essay, "On the Disadvantages of Intellectual Superiority." "On the Disadvantages of Intellectual Superiority" 1 The chief disadvantage of knowing more and seeing farther than others, is not to be generally understood. A man is, in consequence of this, liable to start paradoxes, which immediately transport him beyond the reach of the common-place reader. A person speaking once in a slighting manner of a very original-minded man, received for answer, 'He strides on so far before you that he dwindles in the distance!

" Petrarch complains that 'Nature had made him different from other people' -- singular' d' altri genti. Stand all astonished, like a sort of steers, 'Mongst whom some beast of strange and foreign race Unwares is chanced, far straying from his peers: So will their ghastly gaze betray their hidden fears. Ignorance of another's meaning is a sufficient cause of fear, and fear produces hatred: hence the suspicion and rancour entertained against all those who set up for greater refinement and wisdom than their neighbours. Ah! Efeito Dunning-Kruger + Síndrome do Impostor. Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. O Efeito Dunning-Kruger é o fenómeno pelo qual indivíduos que possuem pouco conhecimento sobre um assunto acreditam saber mais que outros mais bem preparados, fazendo com que tomem decisões erradas e cheguem a resultados indevidos; é a sua incompetência que os restringe da habilidade de reconhecer os próprios erros.[1] Estas pessoas sofrem de superioridade ilusória.

Em contrapartida, a competência real pode enfraquecer a autoconfiança e algumas pessoas muito capacitadas podem sofrer de inferioridade ilusória, achando que não são tão capacitados assim e subestimando as próprias habilidades, chegando a acreditar que outros indivíduos menos capazes também são tão ou mais capazes do que eles. A esse outro fenómeno dá-se o nome de síndrome do impostor. O mecanismo da ilusão de superioridade foi demonstrado numa série de experiências realizadas por Justin Kruger e David Dunning, à época investigadores da Universidade de Cornell[2] . Referências. Mário Ferreira dos Santos. Tomás de Aquino. Erística. José Osvaldo de Meira Penna. O que é Direita e Esquerda - Olavo de Carvalho. Russell Kirk. Olavo de Carvalho - Porque é tão difícil para brasileiros, entender o óbvio? Noção da Realidade ➤ Olavo de Carvalho. O Imbecil Coletivo - Olavo de Carvalho entrevistado por Pedro Bial.

Alexandre Borges, Publicitário e diretor do Instituto Liberal. Os Verdadeiros Burros e os Falsos Loucos - Fiodor Dostoievski. A Mentira é a Base da Civilização Moderna - Teixeira Pascoaes. Zygmunt Bauman - Zygmunt Bauman: ​Para que serve a sociologia? | Fronteiras do Pensamento. Fundamentalismo e a modernidade líquida: a nova forma da religião | Colunas Tortas.

Modernidade Líquida, O Que É? | Colunas Tortas. Modernidade. Pós-modernidade. Fronteiras - Bauman. Zygmunt Bauman e a Pós-Modernidade. Zygmunt Bauman. Arrow of time. Pragmatismo. Pirâmide de Maslow: ainda é atual ou está ultrapassada? - Artigos - Marketing. Construtivismo. Émile Durkheim. Teoria tridimensional do direito. Como é chato ser MODERNO. Lógica paraconsistente. Martin Heidegger. Emergency compliment : A steady supply of Emergency Compliments to be used at times of great insecurity. S Razor - Informações Temáticas - Occam - Consultoria e Formação | Transportes Energia Ambiente. What is Occam's Razor? Paradigma. Verdades absolutas e tolerância - Stephen Kanitz. Dialética. Olavo de Carvalho. Georg Wilhelm Friedrich Hegel. O Pecado Capital da Acídia na Análise de Tomás de Aquino.

Giordano Bruno. Imanência. Portal:Filosofia. Metafísica. Liberalismo. Mercado livre. Liberdade econômica. Democracia grega x Democracia contemporânea. Iluminismo + História da Filosofia. Vitalismo. Lógica epistêmica. Epistemologia. Ôntico. Argumento da causa primeira. Argumento teleológico. Contingência. Weltanschauung.