background preloader

História de Portugal

Facebook Twitter

História e Geografia de Portugal [abrir no Internet Explorer] História de Portugal - História de Portugal. Os Descobrimentos portugueses. Descobrimentos e as marcas da globalização. A marca da globalização O historiador João Paulo Oliveira e Costa, da Universidade Nova de Lisboa, evoca a transformação do imaginário europeu a partir do século XV e do início da expansão portuguesa.

Descobrimentos e as marcas da globalização

O mundo não voltaria a ser igual depois de as primeiras caravelas sulcarem os mares do Atlântico e derrubarem mitos persistentes. O primeiro impulso dos Descobrimentos foi inequivocamente para leste e para o Índico. No início do século XV, o mundo estava compartimentado e muitas civilizações viviam fechadas sobre si próprias com poucos contactos com o exterior. A conquista de Ceuta, em 1415, e a passagem do cabo Bojador, em 1434, fizeram de Portugal o pioneiro da Expansão europeia e, consequentemente, da Globalização, um movimento que se tornou imparável e irreversível desde que Gil Eanes e os seus homens venceram o mito do Mar Tenebroso.

Américo Vespúcio em gravura contemporânea.Explorador e cartógrafo,o seu nome foi perpetuado no continente americano. Colombo: atrevimento ou pura ambição? Cronologia dos descobrimentos portugueses. A CIÊNCIA E OS DESCOBRIMENTOS. Texto que acaba de sair entre no jornal "As Artes entre as Letras": Os Descobrimentos não estiveram associados a actividade científica e pedagógica desenvolvida pela Universidade portuguesa, tendo antes resultado do desejo da expansão do comércio e da religião, para além, naturalmente, da curiosidade humana.

A CIÊNCIA E OS DESCOBRIMENTOS

No final do século xv, após a chegada de Bartolomeu Dias ao Cabo da Boa Esperança em 1488, de Vasco de Gama à Índia em 1498 e de Pedro Álvares Cabral ao Brasil em 1500, as grandes viagens lusas de descoberta tinham atingido o seu auge. O português Fernão de Magalhães ainda haveria de empreender a sua viagem de circum-navegação de 1519 a 1522 ao serviço da coroa espanhola. Os navegadores lusos serviram-se de desenvolvimentos empíricos aprendidos, muitas vezes, à sua própria custa, com a prática porfiada de navegação, e não de conhecimentos de base científica ensinados numa escola, média ou superior. A escola de Sagres, ligada ao nome do Infante D. “Olha por outras partes a pintura. Biblioteca Nacional - As Viagens dos Portugueses. Revista Ler História. Estado Novo. O Estado Novo (1926-1974) Multidão concentrada na frontaria do Palácio de São Bento, 15 de abril de 1945.

Estado Novo

Durante a ditadura militar que se seguiu ao golpe militar de 1926, a Constituição de 1911 vigoraria apenas em teoria, tendo sido alterada por sucessivos decretos governamentais. Sendo, no entanto, uma das bandeiras deste golpe o antiparlamentarismo, depressa se compreenderá que entre 1926 e 1935 - data do início da primeira legislatura da Assembleia Nacional do Estado Novo - a ideia de Parlamento, enquanto órgão de soberania, não conste das prioridades políticas do poder. A Assembleia Nacional na Constituição de 1933 O Presidente da Assembleia Nacional, Albino Soares dos Reis, passando revista à guarda de honra, 25 de novembro de 1947. A Constituição de 1933, embora formalmente estabelecesse um compromisso entre um estado democrático e um estado autoritário, permitiu que a praxis política conduzisse à rápida prevalência deste último.

O partido único durante o Estado Novo. Cronologia da Guerra Colonial Portuguesa. Fevereiro de 1961: Início da Guerra Colonial A 4 de fevereiro, o Movimento Popular e Libertação de Angola (MPLA), que era apoiado pela União Soviética e por Cuba, atacou a prisão de São Paulo, em Luanda, e uma esquadra da polícia.

Cronologia da Guerra Colonial Portuguesa

Foram mortos sete polícias. E no norte do território, a UPA (União das Populações de Angola), que se dedica sobretudo à guerrilha rural, desencadeou vários ataques contra a população branca. Angola foi a primeira colónia onde se iniciou a luta armada organizada contra o domínio português. Março de 1961: Massacres em Angola São perpetrados massacres nas regiões de São Salvador e Dembos e nos distritos coloniais de Luanda, Kwanza Norte e Uíge, em Angola, depois da agitação da UPA. Resgate de baixas do exército português em Angola (1962) Abril de 1961: Conferência das Organizações Nacionalistas das Colónias A CONCP voltou a reunir-se em Dar-Es-Salam, em 1965, para a II Conferência (da esq. para a dir.) FHD - Fundação Humberto Delgado.

Associação 25 de Abril – Associação 25 de Abril. O Portal da História. Centro de Documentação 25 de Abril. Fundação Mário Soares.