background preloader

Cães e Gatos

Facebook Twitter

Medicina Felina » Esporotricose. A esporotricose é uma doença causada por uma levedura (fungo) chamada Sporothrix schenckii e é considerada uma zoonose, ou seja, transmite dos animais ao homem.

Medicina Felina » Esporotricose

O fungo encontra-se na natureza e pessoas que trabalham com a terra, como floricultores, mineiros, jardineiros e pedreiros são mais predispostos a contrair a doença. Os veterinários também têm mais predisposição devido ao contato direto com animais. Regiões tropicais e sub-tropicais apresentam maior numero de casos de esporotricose, pois o fungo precisa de altas temperaturas e umidade para se replicar. O fungo penetra na pele através de uma inoculação, seja acidental ou traumática. No caso de contaminação pela terra um pequeno ferimento na pele é suficiente para que ocorra essa inoculação. Além do gato, os cães e os coelhos também podem transmitir a doença por arranhadura e esses animais não precisam estar potencialmente doentes para transmitir.

Sintomas de comprometimento sistêmico podem ocorrer, como fraqueza, anorexia e febre. Medicina Felina » Toxoplasmose. A toxoplasmose é uma infecção causada por um protozoário chamado Toxoplasma gondii e acomete a maioria dos animais de sangue quente, incluindo o homem.

Medicina Felina » Toxoplasmose

O papel do gato doméstico na transmissão da toxoplasmose é uma das principais dúvidas dos proprietários de felinos. O motivo para tanta polêmica é que o gato é o único hospedeiro definitivo da doença, ou seja, é o único animal que realiza o ciclo completo da doença. Um ciclo não tem começo nem fim, mas para elucidar o assunto vamos supor que tudo comece com a ingestão de roedores pelos gatos. Nesses roedores estão presentes os cistos do toxoplasma.

Após esta ingestão o parasita vai se modificar no intestino do gato, passando a chamar oocisto. A partir daqui o ciclo pode tomar duas direções: 1) O homem ingere acidentalmente os oocistos esporulados contidos nas fezes do gato e então pode desenvolver a doença ou desenvolver imunidade contra ela, o que ocorre na maioria das vezes; FIV/FeLV UFT - Universidade Federal do Tocantins. Revista Argos online. Revista Argos online. Top_page. Feline Rhinotracheitis and Your Cat. FeLV. Feline Infectious Peritonitis and Coronavirus Web Site. Medicina Felina » Saúde. Os gatos não são pequenos cães, eles possuem suas peculiaridades, principalmente quando se trata de saúde.

Medicina Felina » Saúde

Confira aqui algumas das principais doenças que acometem os bichanos. Neoplasia (neo = novo; plasia = formação) é o termo que designa alterações celulares que geram crescimento exacerbado e sem controle dessas células. Quando uma neoplasia é maligna temos o temido termo “câncer”. Hoje em dia o avanço da medicina já chegou na veterinária e em alguns casos podemos encontrar a cura para esse mal. Confira aqui as principais neoplasias que acometem os gatinhos. Vírus são pequenas partículas que apresentam seu genoma como uma Viroses ou doenças virais são as doenças causadas por vírus e aqui você pode verificar quais mais acometem os felinos.ou mais partículas de DNA ou RNA. As gatas possuem um ciclo muito diferente das cadelas e o sistema reprodutor dos gatos machos também apresenta diferenças se comparado ao cão.

CONHEÇA A AIDS FELINA. Postado por M.V.

CONHEÇA A AIDS FELINA

Raquel Redaelli A AIDS felina é causada pelo Vírus da Imunodeficiência Felina (FIV), semelhante ao vírus humano, porém específico da espécie. O principal modo de transmissão é a mordedura de gato infectado e transfusão de sangue, e menos freqüente a transmissão materna via intra-uterina, colostro e saliva. O grupo de risco inclui os gatos com acesso à rua ou de vida livre, principalmente machos adultos, e aqueles gatos que vivem ou que são procedentes de abrigos ou aglomerações de gatos. A fase aguda muitas vezes não é detectada, mas quando aparecem sintomas, consistem em febre, depressão, alterações gastrintestinais e aumento de linfonodos periféricos. Deve-se suspeitar de FIV em gatos com doenças crônicas e recorrentes, lesões na cavidade oral e infecções aparentemente descomplicadas que não respondem bem ao tratamento.

Recomenda-se que o gato FIV positivo seja avaliado pelo Médico Veterinário a cada 4 a 6 meses para detecção precoce de alterações. Clínica Gatos & Gatos. Respostas: Fonte: “Coletâneas em Medicina e Cirurgia dos Felinos” 2003. Editora LF livros. 1- Existe alguma virose que leve meu gato a espirrar tanto como se estivesse gripado e posso prevenir essa infecção?

A rinotraqueíte viral felina (RVF) e a calicivirose felina (CVF) são as doenças respiratórias mais prevalentes dos gatos, cujos sinais clínicos freqüentemente se confundem e, por vezes tornam-se indistinguíveis, em função disso, são reunidas num mesmo grupo, referindo-se ao complexo respiratório viral felino (CRVF). Os sintomas principais dos gatos com infecção aguda pelo FHV-1 são febre (40°C ou mais), blefarospasmo, espirros, tosse, meneios da cabeça, secreção nasal e ocular, intensa sialorréia, anorexia e prostração. Os espirros são esporádicos inicialmente, tornando-se cada vez mais freqüentes e paroxísticos. A glossite induzida pelo FHV-1 ocorre em gatos com RVF grave.