background preloader

Mundo do Trabalho

Facebook Twitter

Mundo do Trabalho. Historia Toyotismo.mov. Frederick Winslow Taylor. Produção em massa. De médico a maquiadora, 'uberização' avança no país - 27/03/2016 - Mercado. O clínico-geral Rafael Mialski, 31, de Curitiba, atende em um hospital público em horário comercial.

De médico a maquiadora, 'uberização' avança no país - 27/03/2016 - Mercado

Mas seu dia de trabalho não acaba quando ele deixa o local. Usuário do aplicativo DocWay, ele recebe ao menos uma chamada por semana em seu celular para atender pacientes na casa deles. O DocWay segue modelo popularizado pelo Uber e pelos aplicativos para chamar táxi: o cliente pede um atendimento e, após alguns minutos, é informado sobre quem irá prestar o serviço e em quanto tempo. As consultas custam entre R$ 200 e R$ 300, e a DocWay fica com 10% do valor.

O serviço chegou a São Paulo em fevereiro e também está disponível em Belo Horizonte. Mialski diz que a ferramenta é usada principalmente por pacientes que não podem dispor de um dia de trabalho para ir ao médico e que têm queixas simples. A medicina é só mais uma entre as muitas áreas em que conectar clientes com profissionais está gerando lucros. A maquiadora Gabriela Massa, 25, se encaixa nesta tendência. Diploma de nível superior não é mais garantia de emprego. Brasília – Já se foi o tempo em que ter formação de nível superior era quase uma certeza de conseguir um bom emprego.

Diploma de nível superior não é mais garantia de emprego

A má gestão da política econômica no primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff, que já havia desorganizado as contas públicas e feito a inflação disparar, contaminou o mercado de trabalho e atingiu fortemente a população mais qualificada. Entre janeiro e março, o total de desempregados com diploma de curso superior cresceu 21,25% em relação ao mesmo período de 2014, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Embora a taxa desemprego nessa faixa da população não seja a mais elevada – 4,6% dos diplomados estão sem trabalho, contra 9,4% dos que concluíram apenas o ensino médio, por exemplo – o aumento da desocupação foi aí mais intenso, ficando atrás apenas do verificado entre aqueles que têm o ensino superior incompleto (28,2% de alta).

Desemprego cresce mais entre os negros em São Paulo, diz Dieese - 17/11/2016 - Mercado. O impacto negativo da recessão sobre o mercado de trabalho na Região Metropolitana de São Paulo foi mais intenso sobre a população negra, especialmente entre as mulheres e jovens.

Desemprego cresce mais entre os negros em São Paulo, diz Dieese - 17/11/2016 - Mercado

Na passagem de 2014 para 2015, a taxa média de desemprego do grupo todo avançou de 12% para 14,9%, contra alta de 10,1% para 12% entre as populações não negras, conforme estudo divulgado nesta quinta-feira (17) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A diferença entre as duas taxas chegou a 2,9 pontos percentuais, após atingir 1,9 ponto em 2014, o menor valor da série, que começa em 1985. O aumento reverte a tendência de redução das distâncias entre os indicadores dos dois grupos que vinha sendo observada nos últimos anos. Em 2002, ela era de 7,2 pontos.

A diferença entre o rendimento das duas populações, por outro lado, diminuiu no período. Para superar o capitalismo (II): a indústria da moda. Cultura do descarte: vestuário tornou-se indústria que mais emprega e segunda mais poluidora.

Para superar o capitalismo (II): a indústria da moda

Para consumo frenético, trabalho ultra-precário. Como escapar do “fast fashion”? Por Mauro Lopes, editor do blog Caminho para Casa Leia também:Para superar o capitalismo, sistema de morte (I)Informado pela Teologia da Libertação e pensamento do papa Francisco, colunista escreve sobre grandes impasses contemporâneos. No primeiro texto, o papel dos bancos e da aristocracia financeira— Escrevo uma breve série de meditações sobre o capitalismo a partir do ensinamento da Igreja e do Papa Francisco, que no II Encontro dos Movimentos Populares, em Santa Cruz de la Sierra (Bolívia), em julho de 2015, qualificou o sistema de “ditadura sutil”. 2.

Tempos atrás, quando o dólar ainda estava ao preço “me engana que eu gosto” e a classe média se esbaldava na Flórida e pelo mundo afora, minha mulher e eu fomos a NY. Desemprego ainda deve subir mais em 2017, antes de começar a cair. Trabalho informal cresce em meio a aumento das demissões. Por Silvio Cascione BRASÍLIA (Reuters) - A onda recente de demissões tem empurrado cada vez mais trabalhadores para a informalidade no Brasil, deixando-os mais vulneráveis a uma recessão que pode ser a pior em 25 anos.

Trabalho informal cresce em meio a aumento das demissões

Dezenas de milhares de trabalhadores que perderam seus empregos com carteira assinada têm vivido de bicos ou trabalhado como autônomos enquanto procuram uma nova oportunidade. Nesse processo, muitas vezes deixam de contribuir para a Previdência Social e ficam com dificuldades para obter crédito. O trabalho por conta própria, na maioria dos casos com rendimento inferior a 1.300 reais por mês, já representa 19,5 por cento de todas as ocupações nas principais cidades do Brasil - maior nível em oito anos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para janeiro. Quarta Revolução Industrial - Jornal Minas. Aula Pública Ruy Braga: por que cresce a precarização do trabalho no mundo? (Part. 1)