background preloader

Desigualdades sociais

Facebook Twitter

Pobreza no Brasil: Caminhos da Reportagem [HD] - Documentário Nacional TV Brasil. Trailer Oficial Novo - Que Horas Ela Volta? Ep. #60: Entrevista com Fernando Bonassi. Em 10 anos, programas sociais reduzem pobreza no Brasil em 76% DESIGUALDADE NO BRASIL: Pesquisa com dados do IR mostra desigualdade estável de 2006 a 2012. As desigualdades sociais e a Sociologia by Rodrigo Lima on Prezi. Desigualdades sociais no capitalismo. A Hisória Da Pobreza - Porque Pobreza? Histórias de KUSHINAGAR - ÍNDIA- #HUMAN. Grandes Civilizações - Carolíngios (PARTE 1/2) Desigualdades sociais no Brasil by Rodrigo Lima on Prezi. Brasil tem 4ª maior população carcerária do mundo, diz estudo do MJ. Menores cometem 0,9% dos crimes no Brasil. Percentual é ainda mais baixo quando considerados homicídios e tentativas de homicídio: 0,5%; presidenta Dilma Rousseff determinou criação de grupo interministerial para discutir medidas de combate à impunidade <a href=" por Portal Brasil publicado: 03/06/2015 12h38 última modificação: 03/06/2015 13h07 Em tempos de arrefecimento de ânimos na discussão sobre a PEC 171, que trata da redução da maioridade penal no País, o Ministério da Justiça traz à luz dados relevantes para o amadurecimento do debate pela sociedade civil: segundo a pasta, menores de 16 18 anos são responsáveis por 0,9% dos crimes no Brasil.

Menores cometem 0,9% dos crimes no Brasil

O percentual é ainda menor se considerados homicídios e tentativas de homicídio: 0,5%. Contrária à aprovação da proposta, a presidenta Dilma Rousseff defende o agravamento da pena do adulto que utiliza jovens para cometer crimes. Pepe Vargas lembra que o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) já prevê sanções para o jovem infrator. Artistas também se posicionam contra PEC 171 Unicef. Fantástico - A cada 28 horas, um homossexual morre de forma violenta no Brasil. No Brasil, um estupro a cada 11 minutos. Mais de cinco pessoas são estupradas por hora no Brasil, mostra o 10º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), divulgado na quinta-feira 3.

No Brasil, um estupro a cada 11 minutos

O país registrou, em 2015, 45.460 casos de estupro, sendo 24% deles nas capitais e no Distrito Federal. Apesar de o número representar uma retração de 4.978 casos em relação ao ano anterior, com queda de 9,9%, o FBSP mostrou que não é possível afirmar que realmente houve redução do número de estupros no Brasil, já que a subnotificação desse tipo de crime é extremamente alta. “O crime de estupro é aquele que apresenta a maior taxa de subnotificação no mundo, então é difícil avaliar se houve de fato uma redução da incidência desse crime no país”, disse a diretora executiva do Fórum, Samira Bueno.

O levantamento estima que devem ter ocorrido entre 129,9 mil e 454,6 mil estupros no Brasil em 2015. Roubos. A cada 23 minutos, um jovem negro é assassinado no Brasil, diz CPI - BBC Brasil. Image copyright AgBr Depois que você terminar de ler este texto e tomar um cafezinho, um jovem negro terá sido morto no Brasil.

A cada 23 minutos, um jovem negro é assassinado no Brasil, diz CPI - BBC Brasil

É este o país que salta do relatório final da CPI do Senado sobre o Assassinato de Jovens, que será divulgado esta semana em Brasília: todo ano, 23.100 jovens negros de 15 a 29 anos são assassinados. São 63 por dia. Um a cada 23 minutos. A CPI toma por base os números do Mapa da Violência, realizado desde 1998 pelo sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz a partir de dados oficiais do Sistema de Informações de Mortalidade do Ministério da Saúde. Como duas jovens estão derrubando clichês sobre a política no Brasil Depois de sete meses de trabalho, com 21 audiências públicas em sete Estados brasileiros, o relatório do senador Lindbergh Farias (PT-RJ) apresenta um diagnóstico amplo, com números e pesquisas de várias fontes e períodos.

Brasil tem 11% dos assassinatos do mundo, diz ONU; Norte e Nordeste lideram - Notícias. Quem são as 62 pessoas cuja riqueza equivale à de metade do mundo. Thomas Piketty - 09/02/2015. Moreira Franco defende modelo de classes sociais adotado pela SAE. Camila Maciel Repórter da Agência Brasil São Paulo – O ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), Moreira Franco, rebateu hoje (25) as críticas feitas ao modelo, adotado pelo órgão, para definir as classes sociais no Brasil.

Moreira Franco defende modelo de classes sociais adotado pela SAE

De acordo com o ministro, as críticas de que o modelo seria uma forma de manipular a criação de uma nova classe média e criar um ambiente favorável ao governo partem de setores da oposição, que não consideram os aspectos técnicos adotados na proposição. “Nós enfrentamos o problema [de definir a classe média] para evitar justamente essa politização. Precisamos ter um conceito dos grupos sociais, das classes, no Brasil, que nos permita formular políticas públicas com foco, que se dirijam adequadamente às pessoas desses grupos, de acordo com suas expectativas, necessidades e demandas”, declarou Moreira Franco ao participar do seminário Definindo a Classe Média no Brasil, organizado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), em São Paulo.

Edição: Aécio Amado. Sociedades sem Estado.wmv. Violência social by Rodrigo Lima on Prezi.