background preloader

Iscas Intelectuais

Facebook Twitter

Implicante.Org. 508 – A dissonância cognitiva. Você tem um amigo ou amiga que, mesmo diante de todas as evidências se recusa a mudar de opinião, hein?

508 – A dissonância cognitiva

Não entende como é que uma pessoa aparentemente inteligente pode ser tão teimosa? Ah, você é assim, é? Bom! Bem vindo ao mundo da dissonância cognitiva. Amigo, amiga, não importa quem seja, bom dia, boa tarde, boa noite, este é o Café Brasil e eu sou o Luciano Pires. Este programa chega até você com o apoio do Itaú Cultural e do Auditório Ibirapuera que, como sempre, estão aí, a um clique de distância. facebook.com/itaucultural e facebook.com/auditorioibirapuera. E quem vai levar o exemplar de meu livro Me Engana Que Eu Gosto é a Fernanda, de Sorocaba “Tô agora aqui voltando do trabalho, ouvindo seu podcast 497 – Eureka e mais uma vez você me emocionou, quando você comentou sobre o episódio do Bohemian Rhapsody, que eu acho que já ouvi umas dez vezes. Obrigado Fernanda, é muito bom saber que de alguma forma nossa mensagem está calando fundo em você.

Muito bem. Vamos lá então! 505 – João Brasileiro Médio Revisitado. Eu não sei se você concorda, mas acho que a humanidade vive uma luta eterna entre o conhecimento e a ignorância.

505 – João Brasileiro Médio Revisitado

E às vezes dá impressão que a segunda está ganhando… Uns gregos trataram disso há uns três mil anos. Posso entrar? 3 falácias sobre a Zona Euro. Três ideias viraram pressupostos imutáveis, nunca questionadas, na discussão pública sobre a Zona Euro que sucedeu à crise das dívidas soberanas.

3 falácias sobre a Zona Euro

São elas: 1) os Estados soberanos membros de uma zona monetária não podem/não devem falir; 2) uma união fiscal e/ou política preveniria a sua falência; 3) a Zona Euro não é óptima, pelo que não pode funcionar. São as três falsas. Os Estados soberanos devem falir Os Estados soberanos podem e devem falir, assim limpando o seu balanço e começando de novo. O problema da falência no actual quadro institucional da União Europeia é que a falência do Estado soberano iria implicar a imediata insolvência da banca doméstica, e por sua vez uma necessidade de recapitalização. The most popular talks of all time. Boaventura Santos volta à UFRGS com novos desafios para as ciências sociais — UFRGS. Galeria de imagens “Não é a primeira vez que a UFRGS tem o prazer intelectual e afetivo de escutar o professor Boaventura de Sousa Santos que, desde os anos 90 tem estado entre nós, sempre trazendo desafios a pensar nas ciências sociais”, disse o professor José Vicente Tavares em sua saudação ao sociólogo português.

Boaventura Santos volta à UFRGS com novos desafios para as ciências sociais — UFRGS

Antes de passar a palavra ao conferencista de “As epistemologias do Sul e as ciências sociais do futuro”, o diretor do Instituto Latino-americano de Estudos Avançados completou: “Somos todos agradecidos por seu trabalho, seu elegante estilo e sua aguda crítica. Professor, que sua presença traga à Universidade e ao conhecimento, a Boaventurança.” Boaventura Santos apresentou a ideia de que é preciso fazer uma reforma profunda das ciências sociais. O convidado é também o presente à comunidade Sua palestra integra a programação relativa aos 80 Anos da Universidade.

> À noite, o sociólogo participou de Ciclo de Conferências no ILEA. Jornal da Universidade by Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Gordian Knot. The Gordian Knot is a legend of Phrygian Gordium associated with Alexander the Great.

Gordian Knot

Nó górdio. Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Nó górdio

Alexandre corta o nó górdio em pintura do século XIX O nó górdio é uma lenda que envolve o rei da Frígia (Ásia Menor) e Alexandre, o Grande. É comumente usada como metáfora de um problema insolúvel (desatando um nó impossível) resolvido facilmente pelo engano. Conta-se que o rei da Frígia (Ásia Menor) morreu sem deixar herdeiro e que, ao ser consultado, o Oráculo anunciou que o sucessor chegaria à cidade num carro de bois. A profecia foi cumprida por um camponês, de nome Górdio, que foi coroado.

Górdio reinou por muito tempo e quando morreu, seu filho Midas assumiu o trono. Quinhentos anos se passaram sem ninguém conseguir realizar esse feito, até que em 334 a.C Alexandre, o Grande, ouviu essa lenda ao passar pela Frígia. Tiago Malta: Noam Chomsky: As 10 estratégias de manipulação midiática. Fronteiras do Pensamento. Do Pensamento. Citações e Frases - Citador - Citações, Frases, Aforismos e Pensamentos por milhares de temas e autores. Palestras Provocacionais - palestrante, escritor, cartunista, comunicador, apresentador - Luciano Pires.

Talks - in Portuguese, Brazilian. Carol Bensimon: "O brasileiro classe média" O brasileiro classe média, ano-base 2013, tem um pet.

Carol Bensimon: "O brasileiro classe média"

Não um gato, não um cachorro. Um pet. O brasileiro classe média puxa conversa sobre o pet com donos de outros pets: "Dois dão o mesmo trabalho que um. Só gasto mais em ração". Esse é um momento importante na vida do brasileiro classe média, pois pressupõe uma interação social que se desenvolve na calçada, ainda que estimulada pelas necessidades fisiológicas do pet. > Opine: o que você achou do texto da colunista? O brasileiro classe média vai para a academia de carro. O brasileiro classe média acredita em bairro planejado, brigadeiro gourmet e bufê-de-saladas-pratos-quentes-sushi-churrasco-ilha-de-massas-por-R$ 42,90. O brasileiro classe média não faz, compra pronto. O brasileiro classe média pedindo pão no supermercado: "Me dá cinco.