background preloader

Regime Militar

Facebook Twitter

Algumas Questões Sobre as Guerrilhas no Brasil. MIA > Biblioteca > Marighella > Novidades Outubro de 1967 Escrito em: Havana, Cuba, 1967.

Algumas Questões Sobre as Guerrilhas no Brasil

Fonte: Jornal do Brasil, edição de 05 de setembro de 1968. Transcrição e HTML por: Pablo de Freitas Lopes para Marxists Internet Archive. Com este trabalho queremos homenagear a memória do Comandante Che Guevara, cujo exemplo de Guerrilheiro Heróico perdurará pelos tempos e frutificará em toda a América Latina.

A luta de guerrilhas, através da história, sempre foi um instrumento de libertação dos povos e a experiência provou, inúmeras vezes, quão importante é e que valor tem na mão dos explorados. Além desta inapreciável importância, a guerrilha assumiu, nos dias de hoje, uma nova dimensão, ao lhe ser atribuído o papel estratégico decisivo na libertação dos povos. Tal formulação do problema, como seja o do papel estratégico da guerrilha, não surgiu casualmente e sim porque a revolução cubana o introduziu no cenário da história.

Aniquilar as Forças do Inimigo: Tarefa Fundamental da Guerrilha 1. A Crise Brasileira. MIA> Biblioteca> Marighella > Novidades Fonte: Escritos de Carlos Marighella.

A Crise Brasileira

Editorial Livramento, 1979, Pág: 49-97.Transcrição e HTML: Fernando A. S. Araújo As Causas da Derrota e as Perspectivas da Situação O golpe de primeiro de abril sobreveio, e tornou-se vitorioso, sem que as forças antigolpistas, e entre elas os comunistas, pudessem esboçar qualquer resistência. Vale a pena recordar que, com a renúncia de Jânio, em 1961, fomos tomados de perplexidade e reconhecemos que não estávamos preparados para enfrentar os acontecimentos. Não foi o que se deu em face da deposição do governo de Jango, no momento do golpe de abril. A falta de resistência ao golpe prendeu-se, assim, ao nosso despreparo.

Quanto aos comunistas, a resistência tornou-se impossível porque nossa política — no essencial — vinha sendo feita sob a dependência da política do governo. A subestimação do perigo de direita no panorama político brasileiro foi fruto do reboquismo e da ilusão no governo. Cidadão Boilesen - Um dos Empresários que Financiou a Tortura no Brasil. Memórias Reveladas. Comissão da Verdade - Rubens Paiva Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo. Comissão da Verdade RJ. Comissão Nacional da Verdade. Dez filmes para entender a ditadura militar no Brasil - Fotos. De volta a 1964 - Sua vida em tempos de ditadura. 1 de abril Golpe Tropas do Exército ocupam as ruas das principais cidades do país, destituindo Jango.

De volta a 1964 - Sua vida em tempos de ditadura

No dia 1 de abril, é instaurada a ditadura militar no país. O regime suspende a maior parte das garantias que caracterizam a democracia, como as eleições diretas, a liberdade de expressão e o direito de oposição ao governo. Nos órgãos de imprensa, os militares são exaltados pela deposição de Jango. Ato Institucional nº 1 (09/04/64) Com o ato, o governo pode afastar do serviço público aqueles que ameaçam a segurança nacional, cassar direitos políticos e mandatos legislativos. Serviço Nacional de Informação É criado o SNI, órgão que centraliza as informações pessoais de centenas de cidadãos e cria relatórios sobre o comportamento de diversas instituições sociais, como empresas, igrejas, sindicados e imprensa.

Ato Institucional nº 2 (27/10/65) O ato garante ao presidente o poder de fechar o Congresso e estabelece o bipartidarismo. 13 de Dezembro Ato Institucional nº 5. DHNET - Verdade e Resistência. Coleção Resistência a Ditadura Militar de 1964 Livros sobre uma Geração que Resistiu ao Golpe de 1964 Organizada por Perly Cipriano, Gilney Viana, Marcelo Zelic e Roberto Monte Canções Revolucionárias Posters Revolucionários Comissões da Verdade Brasil | Comissões da Verdade Mundo Comitê de Verdade Estados | Comitê da Verdade RN Livros de Perly Cipriano Coleção Memória Histórica Capixaba Livros sobre a Memória Histórica do Espírito Santo. Época. Livros:1.

Época

Coleção Ditadura (A ditadura envergonhada, A ditadura escancarada, A ditadura derrotada, A ditadura encurralada), Elio Gaspari. (Intrínseca, 2014)2. 1964 – O golpe, Flávio Tavares. (L&PM Editores, 2014)3. Memórias do esquecimento – Os Segredos dos Porões da Ditadura, Flávio Tavares. (L&PM Pocket, 2012)4. 1968, o Ano que não terminou, Zuenir Ventura. Filmes:37. Memórias da ditadura - Lembrar é resistir. Memórias Reveladas. Silêncio nunca mais. Painel com rosto de mortos e desaparecidos durante a ditadura militar no Brasil (1964-1985).

Silêncio nunca mais

Foto: Comissão Nacional da Verdade O golpe que instalou a ditadura militar no Brasil completa hoje 51 anos e ainda há muito a se descobrir o que aconteceu naquele período que matou pelo menos 434 pessoas, boa parte delas sob tortura ou vítimas de execuções e posterior desaparecimento dos corpos. Para além das descobertas da Comissão da Verdade, a maior parte delas ratificando histórias já conhecidas, o jornalismo tem um papel fundamental para jogar luz nesse período em que a violência dos agentes do Estado calou a boca dos que se insurgiram contra a ilegalidade e arbitrariedade dos governos ditatoriais.

As consequências do período de exceção, como apontaram diversos especialistas, incluem a permanência dos métodos ilegais e violentos na atuação policial na democracia que construímos. Leia – ou releia – as reportagens: