background preloader

Geografia dos Recursos Hídricos

Facebook Twitter

Água em Jogo. Vital Water Graphics. The terms of the equation remain simple: for the next few decades, given the volume of available water, and under the present circumstances, will it be possible to provide enough water to a population forecast to be at least 9 billion by 2050 (according to the medium hypothesis proposed by the United Nations) using a volume which will be roughly the same as it is now?

Vital Water Graphics

In the context of stress and scarcity, the challenge will be to find creative ways to manage water resources without emphasizing already existing disputes and conflicts. This is raising important questions: is it reasonable to envisage more long distance water transfer without threatening water reserves and harming environmental balance?

Which are the countries and regions that will suffer the most due to lack of water? ICPDR - International Commission for the Protection of the Danube River. BfG - The GRDC. This is the Global Runoff Data Centre, a repository for the world's river discharge data and associated metadata.

BfG - The GRDC

GRDC stations with monthly data, indicated by time series end The GRDC is an international archive of data up to 200 years old, and fosters multinational and global long-term hydrological studies. Originally established two decades ago, the aim of the GRDC is to help earth scientists analyse global climate trends and assess environmental impacts and risks. Positioned as a facilitator for exchanges between data providers and data users, the GRDC has become a focal point for international cooperation. Researchers, universities and other organisations make use of the facilities available for research programmes and projects.

The Global Runoff Database at GRDC is a unique collection of river discharge data collected at daily or monthly intervals from more than 9,200 stations in 160 countries. Departamento Nacional de Obras Contra as Secas - DNOCS. ABRH - Associação Brasileira de Recursos Hídricos. UN-Water: Home. A chuva já resolveu a crise da água em SP? Veja perguntas e respostas - notícias em São Paulo. Apesar da volta das chuvas nas primeiras semanas de novembro, o cenário do abastecimento de água em São Paulo para o futuro próximo ainda tem muitas incertezas.

A chuva já resolveu a crise da água em SP? Veja perguntas e respostas - notícias em São Paulo

Os níveis dos reservatórios continuam muito distantes do que é considerado ideal. Reunimos aqui algumas dúvidas sobre a atual crise hídrica. Qual a razão da falta de chuva neste ano? O desmatamento na Amazônia contribuiu para seca? Houve falta de preparação para que não chegássemos ao quadro atual? Veja as dez perguntas abaixo: Mesmo que as chuvas do fim do ano e começo de 2015 fiquem dentro da média, a situação dos reservatórios não deve voltar ao normal quando acabar a estação chuvosa – entre março e abril. Ações de revitalização na bacia hidrográfica do Rio São Francisco. Agência Nacional de Águas. Agua, agua por todos lados... Want to show this story on your website?

Agua, agua por todos lados...

Água destinada a empresas pela Sabesp aumenta 92 vezes em 10 anos. O volume de água garantido a empresas que assinaram contratos de demanda firme com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) aumentou 92 vezes em dez anos.

Água destinada a empresas pela Sabesp aumenta 92 vezes em 10 anos

Segundo dados revelados a partir do pedido de acesso à informação feito pela Pública, em 2005 foram reservados 266 milhões de litros para oito clientes. Em 2014 foram 24 bilhões de litros, destinados a 526 grandes consumidores. Os contratos estabelecem uma tarifa reduzida para aqueles que se comprometerem a pagar por um determinado volume mensal mínimo. Os 24 bilhões de litros que a Sabesp reservou para empresas no ano passado são equivalentes ao consumo de 404.040 pessoas em um ano, ou 101 mil famílias. O cálculo leva em conta o consumo médio de 166,3 litros por dia de cada brasileiro, identificado em 2013 pelo Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), do Ministério das Cidades. 'Água deve ser para os povos, e não de empresas', diz líder da Guerra de Cochabamba. Contra a mercantilização, o boliviano Oscar Olivera não toma água engarrafada: 'valor de 1 litro paga um mês inteiro de abastecimento na minha região' “Não estou tomando água da garrafa porque não tomo água privada”, disse o boliviano Oscar Olivera ao recusar o líquido envasilhado.

'Água deve ser para os povos, e não de empresas', diz líder da Guerra de Cochabamba

Olivera é um dos líderes da chamada Guerra da Água na Bolívia, ocorrida há 15 anos, e crítico ao processo de privatização dos recursos hídricos, não só como o que tentou ser implementado em Cochabamba, mas também do que vem ocorrendo em outros lugares do mundo, como no Brasil. Leia também: Possibilidade de caos social por falta de água em SP mobiliza comando do Exército Vanessa Martina Silva/ Opera Mundi. Água, escassez e soluções. Água - Jornal Nacional. Água Online. A guerra pela água no mundo. Aliança pela Água. As guerras da água. Atlântida, o continente perdido. Cadê a água? Cap. 1 - Transposição do São Francisco corre o risco de ficar para 2016. Cap. 2 - Desafios da transposição vão da burocracia à preservação ambiental.

Cap. 3 - Distribuição da água após concluída a transposição ainda gera dúvidas. Cap. 4 - Transposição já é realidade para comunidades afetadas. COBRAPE - Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos. Comitês de Bacias Hidrográficas. Conheça 10 mitos e verdades sobre a crise da água. Moradora caminha em meio a vazamento de água no Limão, zona norte de São Paulo, no dia 27 de abril (Foto: REUTERS/Nacho Doce) Desde o ano passado, a falta de chuvas afeta os hábitos de consumidores e empresas nas metrópoles brasileiras.

Conheça 10 mitos e verdades sobre a crise da água

Uma seca mais prolongada, no entanto, pode gerar consequências mais severas, capazes de impactar não só a economia, como também a saúde pública e o meio ambiente. Dentre as crenças que rondam a crise hídrica, comenta-se que parte da população urbana pode migrar para áreas menos habitadas em um cenário mais extremo. Os mais radicais dão conta de que novas epidemias vão se espalhar rapidamente e provocar uma calamidade pública ocasionada pela falta de água. Especialistas ouvidos pelo G1 alertam que parte destas previsões não tem fundamento, enquanto outras são possíveis e até mesmo prováveis, caso os reservatórios de água não recuperem seus antigos níveis, especialmente na região Sudeste, a mais afetada. 1. 2. 3. 4. 5. 6. Conheça soluções para a crise da água em 6 cidades do mundo. Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil. Crise da Água. Curiosidades (que você provavelmente não sabia) sobre os rios brasileiros.

Dança da chuva — parte 1: Rios voadores. Dança da chuva — parte 2: Manancial subterrâneo. Entre Rios. Fatos sobre a hidrografia brasileira. Hidrografia. Hidrografia e uso da água. HidroWeb. Ilha dos Marinheiros: à margem de Porto Alegre. Kainã quer ser médico.

Ilha dos Marinheiros: à margem de Porto Alegre

Diuly tem vontade de ser bailarina. Gabriel pensa em ser policial. Zilá quer ter um pet shop. Ketlyn tem sonhos de modelo. Juntos, eles são artistas, músicos, cantores e até recitam poema. Em comum eles têm não só a infância e os sonhos. A margem e o centro. Impacto de crise da água é o mais temido por elite mundial. Impactos sobre as Bacias Hidrográficas de Água Doce. O aumento populacional e à distribuição irregular entre habitação humana e recursos hídricos cria pressões cada vez maiores para o armazenamento de água em muitas partes do planeta.

Impactos sobre as Bacias Hidrográficas de Água Doce

A crise da água em São Paulo é um exemplo atual deste desequilíbrio. Neste contexto, o gerenciamento dos reservatórios artificiais, da qualidade de sua água e das bacias hidrográficas na qual se inserem essas represas é de fundamental importância para o desenvolvimento sustentado a longo prazo. Lei das Águas do Brasil - nº 9.433/1997. LEI Nº 9.433, DE 8 DE JANEIRO DE 1997.

Lei das Águas do Brasil - nº 9.433/1997

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º A Política Nacional de Recursos Hídricos baseia-se nos seguintes fundamentos: I - a água é um bem de domínio público; II - a água é um recurso natural limitado, dotado de valor econômico; Líquido e Incerto - O futuro dos recursos hídricos no Brasil. Seis repórteres da Folha mergulham fundo em três situações-limite –secas em São Paulo e no semiárido nordestino e inundações no rio Madeira– e voltam à tona com relatos preocupantes sobre o despreparo do país para enfrentar as emergências que virão Com 12% a 16% da água doce disponível na Terra, o Brasil é um país rico nesse insumo que a natureza provê de graça à população e à economia.

Cada habitante pode contar com mais de 43 mil m³ por ano dos mananciais, mas apenas 0,7% disso termina utilizado. Nações como a Argélia e regiões como a Palestina, em contraste, usam quase a metade dos recursos hídricos disponíveis, e outras ainda, como a Arábia Saudita e os Emirados Árabes, precisam obtê-los por dessalinização de água do mar. Só em aparência, contudo, é confortável a situação brasileira. Em primeiro lugar, há o problema da distribuição: o líquido é tanto mais abundante onde menor é a população e mais preservadas são as florestas, como na Amazônia. Mais calor, menos chuva. Mapa quantifica pela 1ª vez água escondida debaixo da terra no mundo. O volume total de água armazenada no subsolo do planeta é estimado em 23 milhões de km³. Seria o suficiente para cobrir toda a superfície da Terra com uma camada de 180 metros de profundidade.

Essa foi a conclusão de um estudo conduzido por pesquisadores canadenses e publicado na revista científica "Nature Geoscience". Mas apenas 6% dessa água é própria para consumo humano. Mundo Sem Água. O Brasil pede água. Imagine um futuro assim: em 2044, o Brasil celebra uma nova redução no número de mananciais poluídos. A grande seca que afetou o Sudeste entre 2013 e 2016 mudou para sempre as políticas públicas. A cada eleição, os candidatos debatem como cuidarão da água. Há anos, avançam por todo o país projetos de despoluição de rios, lagos e represas, assim como o reflorestamento de suas margens. Os depósitos subterrâneos estão protegidos.

O Canal do Panamá. A carregar... Definições de Cookies Cookies são pequenos ficheiros de texto que são guardados no seu computador quando visita alguns websites. Nós utilizamos cookies para lhe proporcionarmos uma melhor utilização do website. Pode remover os cookies armazenados no seu computador, mas poderá impedir de utilizar partes do nosso website. Selecione uma destas opções para alterar as definições de cookies.

O passado remoto de um grande rio. O sertão vai virar mar? Em abril de 2003, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva viajou a Buíque, cidade de 55 mil habitantes a 258 quilômetros da capital pernambucana, para falar sobre o lançamento do programa Fome Zero. Mas um dos assuntos mais abordados durante seu discurso foi outra medida para ajudar a melhorar as condições de vida no sertão nordestino: a transposição do Rio São Francisco. "O projeto existe desde 1847. Se houver transposição neste país será no meu governo, pois eu sei o que é a seca", disse. Projeto Tietê. Casas à beira do rio Tietê em São Miguel Paulista, zona leste de São Paulo.

O esgoto sem tratamento que polui o rio vem de casas simples, de mansões e dos canos da Sabesp. Foto: Giulia Afiune / Vídeo: José Cícero da Silva. Promoção 1.000 Litros de Água. Quando o Império morreu de sede. Rio de Janeiro, capital do Império, início de 1889. O clima é quente. Auge do verão, a cidade alterna períodos de calor e secura com dias de chuvas torrenciais. Não há um sistema de esgoto eficiente.

Quantidade de água necessária para produzir 16 tipos de alimentos. Seca no Sistema Cantareira é vista do alto. Sistema de Monitoramento Hidrológico. Tecnologias transformam o chorume, resíduo tóxico do lixo, em água limpa. As tecnologias de proteção e de recuperação do meio ambiente têm conseguido resultados revolucionários no Brasil e no mundo. O chorume, aquele líquido resultante da decomposição do lixo, já pode ser transformado em água pura. A maior parte do lixo gerado no Brasil é matéria orgânica, principalmente restos de comida.

A decomposição desses resíduos provoca o aparecimento do chorume, o suco do lixo, um líquido escuro, tóxico, que pode contaminar as águas subterrâneas. Na maioria dos aterros do país, não há tratamento adequado para o chorume. Uma visão histórica da crise da água.