background preloader

Filmes

Facebook Twitter

DELIRIUM NERD - Cultura e nerdices sob um viés feminista. Mulher Maravilha salva o mundo e a DC - MinasNerds. Mulher Maravilha (Wonder Woman – Patty Jenkins -EUA 2017) – é um ÓTIMO filme.

Mulher Maravilha salva o mundo e a DC - MinasNerds

Não, não é uma obra-prima da sétima arte, mas é uma história bem contada, bem finalizada, bem produzida e convenhamos: tais fatos, tendo em vista as últimas produções da Warner/DC, significam uma vitória. Ao que parece a DC finalmente acertou a mão e mais: lançou, antes da Marvel, o primeiro filme com protagonismo feminino com uma das maiores heroínas dos quadrinhos. Ponto para a DC. Trata-se de uma vitória também para nós mulheres. Mulher Maravilha, criação de William Moulton Marston (cuja origem já falamos muito sobre) lançada bem próxima de seus colegas de editora Batman e Superman na década de 30, NUNCA teve um live action no cinema em 75 anos de vida. Mulher-Maravilha: Dentre Todos os Super-heróis, a Melhor. – Collant sem decote.

4 Tipos de Personagens Femininas que Marcaram as Comédias Românticas dos Anos 2000. Uma breve reflexão sobre os tipos de mulheres que nos foram apresentadas para amar, admirar ou se identificar em comédias românticas das últimas duas décadas.

4 Tipos de Personagens Femininas que Marcaram as Comédias Românticas dos Anos 2000

Dizem as más línguas que a comédia romântica tradicional está para morrer. Ou não tão más assim, porque sejamos honestas: quem ainda tem estômago para as clássicas histórias de amor-à-primeira-vista, ou de amor-que-acontece-depois-de-muito-ódio, ou de amor-pegadinha-que-vira-amor-de-verdade, ou mesmo de amor-que-transforma-um-cretino-no-cara-dos-sonhos? Eu não tenho, gente. Eu já não tenho faz tempo, pra falar a verdade. Mulher Maravilha: Onde está a campanha de marketing do filme? Também não sei. ¯\_(ツ)_/¯ – Collant sem decote.

Mulan é o Filme da Disney que nos Trouxe o Vilão mais Aterrorizante de Todos: Machismo Sistêmico. O verdadeiro desafio de Mulan não é derrotar os hunos, mas sim o machismo impregnado na estrutura da sociedade em que vive.

Mulan é o Filme da Disney que nos Trouxe o Vilão mais Aterrorizante de Todos: Machismo Sistêmico

Demorou, eu sei. Mas cá estou para falar de um dos filmes mais incríveis e subestimados da Disney. De uma galáxia muito distante: Leia Organa. Era uma vez, em uma galáxia muito, muito distante, uma bela princesa de expressivos olhos castanhos, cabelos longos presos em um penteado irreverente e uma língua afiada.

De uma galáxia muito distante: Leia Organa

Como princesa, Leia Organa desafiava tudo aquilo que era esperado dela, subvertendo, desde muito cedo, as expectativas de todos. Para muitas meninas, Leia foi o primeiro contato com uma personagem feminina forte e destemida em um mundo dominado por homens, principalmente quando o assunto é um filme de ficção científica com naves espaciais, lutas de sabre e um elenco predominantemente masculino. Guardiões da Galáxia vol.2: Muitas cores, relações familiares e explosões espaciais! (Crítica) “Cinco Graças”: Extremismo religioso e a opressão sofrida pelas mulheres. “Millennium”: Lisbeth Salander e a violência de gênero institucionalizada.

Representação feminina nas obras de fantasia épica e a falácia da fidelidade histórica. Nasa usava mulheres como “computadores humanos” – e as separava por cor. (Reprodução) O longa-metragem Estrelas Além do Tempo foi um dos destaques do Oscar.

Nasa usava mulheres como “computadores humanos” – e as separava por cor

O filme foi indicado à três categorias, todas das mais concorridas: Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Filme. Animais Fantásticos e Onde Habitam - Erros e Acertos. Há muito o que comentar, celebrar e criticar na nova franquia do universo de Harry Potter.

Animais Fantásticos e Onde Habitam - Erros e Acertos

*Contém pequenos spoilers. Semana passada finalmente assisti o filme mais esperado do ano entre os potterheads (oi!) , Animais Fantásticos e Onde Habitam. Lamento dizer, no entanto, que não fui com muita boa vontade. Assim como milhares de fãs de Harry Potter, eu estava bem animada até sair a notícia de que Gerardo Grindewald, personagem de destaque nos próximos filmes da franquia, será interpretado por Johnny Depp, ele próprio personagem central em um caso de violência doméstica na vida real. “A Pele que Habito” e a misoginia disfarçada em um médico louco. “Closer: Perto Demais” – mulheres por trás de seus complexos relacionamentos.

Crítica: Animais Fantásticos e Onde Habitam. Em 2011, quando o último filme da saga Harry Potter foi lançado nos cinemas, o mundo era muito diferente do que conhecemos hoje.

Crítica: Animais Fantásticos e Onde Habitam

Fora retrocessos políticos e sociais que presenciamos com o passar dos anos e os inúmeros avanços tecnológicos, o fim da saga marcou também o fim de uma era na vida de muitos fãs, que se viram órfãos após dez longos (e maravilhosos!) Anos ao lado de Harry, Rony e Hermione. Cinco anos depois, Animais Fantásticos e Onde Habitam chega aos cinemas com a missão de continuar relevante em um novo tempo e reconquistar os corações dos fãs mais antigos enquanto nos leva de volta ao universo mágico criado por J.

K. Rowling – uma experiência tão especial quanto controversa. Atenção: O texto contém spoilers! Dirigido por David Yates – responsável pela direção dos quatro últimos filmes da franquia principal – e roteirizado pela própria J. Sendo a exímia contadora de histórias que é, J. Crítica escrita por Ana Luíza e Anna Vitória. A Manic Pixie Dream Girl é a Nova Bela Recatada e do Lar? Quando velhos ideais machistas ganham uma roupagem moderninha para agradar as novas gerações.

A Manic Pixie Dream Girl é a Nova Bela Recatada e do Lar?

Esse ano a Veja publicou um perfil esdrúxulo de Marcela Temer – a (na época) “quase primeira-dama” do Brasil, de acordo com a publicação brasileira número um em desinformação. Mostrando que é fã dos hediondos guias “da boa esposa” da década de 1950, a revista definiu Marcela como ‘bela, recatada, e do lar’ em tom dolorosamente elogioso, fazendo um desserviço tanto a mulheres (e incluo aqui a própria Marcela), quanto à população brasileira como um todo, ao tentar apresentar uma versão respeitável e, acima de tudo, ‘gostável’, do vice-presidente golpista. Como melhorar a representação feminina no cinema - Prosa Livre. Nesta semana da mulher, de 1º a 8 de março, portais nerds feministas se juntaram em uma ação coletiva para discutir de temas pertinentes à data e à cultura pop, trazendo análises, resenhas, entrevistas e críticas que tragam novas e instigantes reflexões e visões.

Como melhorar a representação feminina no cinema - Prosa Livre

São eles: Collant Sem Decote, Delirium Nerd, Ideias em Roxo, Momentum Saga, Nó de Oito , Preta, Nerd & Burning Hell, Psicologia&CulturaPop, Valkirias, Séries Elas Por Elas, Valkírias, Ideias em Roxo e Kaol Porfírio. A representação feminina no cinema – e na mídia – tem sido alvo de muita discussão nos últimos anos. Atrizes, roteiristas, diretoras, ativistas e o público têm criticado a forma como as mulheres são retratadas, o que levou os estúdios e executivos a se mexer.

E o resultado já começou a aparecer. No ano passado, um estudo da Escola Annenberg de Comunicação e Jornalismo identificou que a quantidade de personagens femininas nos 100 filmes mais populares de 2015 bateu recorde: 31,4%. Cocriadora de 'Is She With You?' indica possível tema em heavy metal para Mulher Maravilha. Afinal, o que as mulheres que gostam de 50 tons querem? – PapodeHomem. Eu poderia me resumir a falar o quanto o filme é fraco, o roteiro é pobre e as relações são inconsistentes.

Afinal, o que as mulheres que gostam de 50 tons querem? – PapodeHomem

“Toni Erdmann”: Pai e filha para além das máscaras sociais. De garota legal a candidata ao Oscar: a queda de Emma Stone? Então, Emma Stone. Depois de ser interesse romântico na versão geek de Homem-Aranha, fazer a internet cair de amores por suas reações em entrevistas que vivem sendo transformadas em GIFs, ser protagonista de algumas comédias românticas e coadjuvante em outras, e até depois de concorrer ao Oscar por Birdman, finalmente chegou a hora da atriz ter que lidar com outra coisa: os haters na internet. Quer dizer, não que ela nunca tenha tido isso antes, afinal, para ter hate na internet nem precisa estar nela, imagina quando se é uma atriz famosa. Mas para alguém que transitou entre garota cool engraçada que é admirada por suas pares e garota-desejo de filmes voltados ao público nerd masculino, até que demorou para Emma chegar ao ponto de cair nas desgraças de fama de mulheres.

Dra. Louise Banks e o heroísmo que precisamos - Momentum Saga. Quarta-feira, março 08, 2017 Nesta semana da mulher, de 1º a 8 de março, portais nerds feministas se juntaram em uma ação coletiva - Ação Nerd Feminista - para discutir de temas pertinentes à data e à cultura pop, trazendo análises, resenhas, entrevistas e críticas que tragam novas e instigantes reflexões e visões. Elas em Ação: 10 personagens femininas que mudaram o cinema. Continuando a homenagem desta semana às mulheres do cinema, chegou a vez de listar 10 personagens que quebraram os padrões costumeiramente vistos em um filme. Nem mocinhas salvas por um herói, nem princesas esperando o príncipe no alto de um castelo, nem símbolos sexuais. Essas mulheres são fortes, corajosas, e ao mesmo tempo choram e se desesperam, fazendo com que sejam reais. Leia Organa (Star Wars) Princesa/General Leia é filha de Anakin Skywalker e Padmé Amidala, e irmã gêmea de Luke Skywalker.

Ainda jovem, ela se uniu à Aliança Rebelde na luta contra o Império Galáctico. Em um ambiente predominantemente comandado por homens, Leia sempre se mostrou alguém corajosa, forte e uma verdadeira chefe, onde em vários momentos da saga, foi ela quem livrou seus amigos dos problemas. Power Rangers (2017) – Fomos Surpreendidas Novamente. – Collant sem decote. “Demônio de Neon”: a nocividade dos padrões estéticos e o terror no mundo da moda. Brie Larson diz que quer criar "um símbolo de força" para as mulheres. A Bela e a Fera: quando a redenção não é possível.

A versão live-action de A Bela e a Fera é muito parecida com a animação, o que já era possível observar nos trailers. Acompanhei muita gente falando mal disso, mas não achei nenhum grande problema. Aliás, a semelhança foi o elemento mais explorado na divulgação do filme; todas as cenas liberadas, falas e músicas eram quase – se não totalmente – iguais às da animação. A semelhança não incomoda (pelo menos não aos fãs da história como eu) porque o filme conta uma boa história, e boas histórias valem sempre a pena serem contadas.

Contudo, a nova versão apresenta algumas diferenças que, apesar de serem sutis, conseguem diferenciar o filme da animação. Atenção: o texto contém spoilers! Numa entrevista, uma jornalista pergunta a Luke Evans, ator que interpreta Gaston no filme, se seu personagem era mesmo um vilão ou apenas mal-compreendido. O feminismo em “10 Coisas que Eu Odeio em Você” Always Shine: Sobre competição feminina e a “mulher que temos que ser” A Bela e a Fera - a moral dos contos de fada - MinasNerds. Tendo arrecadado quase 700 milhões de dólares nos primeiros 10 dias de sua exibição, A Bela e a Fera é um dos contos de fadas mais populares do mundo de acordo com especialista de Harvard, Maria Tatar. Tatar afirma a que muito se perde ao atribuir à Disney a origem de histórias seculares, já que com a adaptação para diversas mídias, a mensagem principal de uma fábula tende a desaparecer.

A utilização de animais em histórias com fundo moral, ou seja, as fábulas, eram transmitidas oralmente desde que o homem começou a se comunicar. 19 Filmes para Pensar em Questões de Gênero (Parte 3) Manic Pixie Dream Girl, Teste de Bechdel e a representação feminina. The Girl King: uma rainha à frente de seu tempo. Christina, filha única do rei Gustavo II Adolfo e da rainha Maria Eleonora de Brandemburgo, foi proclamada rainha da Suécia quando tinha apenas 6 anos de idade. O Segundo Sexo: 19 Filmes para pensar em questões de gênero (Parte 3) 22 filmes lésbicos sem fetichização que você precisa assistir – Casa de Labrys. Simplesmente Amor - Desconstruindo o meu Clássico de Natal Favorito.

“As Horas” ou como as mulheres estão infelizes com seus papéis definidos socialmente. O Conto da Aia e o medo que mora em todas nós. 46 filmes dirigidos por mulheres brasileiras para você assistir em 2017 - Prosa Livre. Precisamos ver mais mulheres no cinema – na frente e atrás das câmeras. 4 vezes em que Um lugar chamado Notting Hill causou desconforto. Comédias românticas costumam ser o tipo mais “inofensivo” de filme que existe. Sem questões polêmicas, sem muita problematização (muito pelo contrário), sem nada que possa causar desconforto. É o tipo perfeito de filme para sentar, colocar o cérebro em modo de descanso e esquecer (ou tentar) por aproximadamente 90 minutos que até a própria ideia de relacionamento romântico pode ser questionável sob alguns ângulos.

Felizmente, acontece de vez em quando de algum desses filmes trazem uma surpresa bem-vinda com alguma alfinetada certeira a algum ponto importante. Precisamos falar sobre Lisbeth Salander. CINCO MULHERES QUE SOBREVIVEM NO CINEMA DE HORROR – VERBERENAS. Virau - Conheça esses 5 incríveis filmes RECENTES que... Tomates verdes fritos: uma história sobre amizade. Tenho lembranças afetuosas da época em que fazia faculdade e, ávida por cultura, assistia mais filmes do que tinha costume. Minhas escolhas eram baseadas em recomendações e, muitas vezes, passavam longe dos lançamentos recentes.

O quarto de Jack, socialização e a desumanização da mulher. Hoje, 25 de novembro, é o Dia Nacional pela Não-Violência Contra a Mulher. 20 filmes perfeitos escondidos no Netflix. “Lírios D’Àgua”: meninas entre o amor e a amizade. 30 filmes dirigidos por mulheres ou sobre mulheres para não perder em 2017.