background preloader

Política

Facebook Twitter

País vai recuperar R$ 500 milhões com delações na Lava Jato, diz força-tarefa. Brasília - Os investigadores da Operação Lava Jato calculam que vão recuperar R$ 500 milhões com acordos de delação premiada e colaboração formalizados até março do próximo ano, quando devem se encerrar os trabalhos da força-tarefa do Ministério Público Federal que investiga o esquema de corrupção, desvios de recursos e pagamento de propinas na Petrobrás.

País vai recuperar R$ 500 milhões com delações na Lava Jato, diz força-tarefa

Lula quer indicar a Dilma pelo menos três ministros - 08/11/2014 - Poder. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva quer participar pessoalmente da indicação de pelo menos três ministros que irão compor o novo governo de Dilma Rousseff.

Lula quer indicar a Dilma pelo menos três ministros - 08/11/2014 - Poder

Segundo a Folha apurou, Lula está empenhado em apontar os nomes para Fazenda, Educação e Cidades. Ele avalia que as pastas serão fundamentais para alavancar programas importantes para seu projeto político em 2018. Durante encontro com Dilma, nesta semana em Brasília, Lula disse considerar esses três ministérios os mais importantes para o futuro governo e recebeu o aval da presidente para acompanhar de perto iniciativas e resultados.

No seu primeiro mandato, Dilma se incomodou muitas vezes com as interferências de Lula, mesmo com as mais discretas. A presidente queria deixar uma marca de independência em relação ao antecessor e evitava tomar decisões sob sua tutela. Agora, dizem aliados do ex-presidente, Dilma sabe que seu padrinho político precisa preparar o terreno caso queira concorrer ao Palácio do Planalto novamente. As 10 empresas que mais doaram em 2014 ajudam a eleger 70% da Câmara. São Paulo - Sete de cada dez deputados federais eleitos receberam recursos de pelo menos uma das dez empresas que mais fizeram doações eleitorais em 2014.

As 10 empresas que mais doaram em 2014 ajudam a eleger 70% da Câmara

Os top 10 doadores contribuíram financeiramente para a eleição de 360 dos 513 deputados da nova Câmara: 70%. É uma combinação inédita de concentração e eficiência das doações por parte das contribuidoras. Uma das principais razões para isso ter acontecido foi que, como suas assessorias costumam dizer, as empresas não privilegiam “nenhum partido, candidato ou corrente política”. Ao contrário, elas buscam o mais amplo espectro possível. Os 360 deputados que elas financiaram estão distribuídos por 23 partidos diferentes. Oposição promete esmiuçar CPI após acordo de blindagem. Depois do mal-estar causado pelo "acordão" entre governistas e oposicionistas para blindar as principais legendas na CPI mista da Petrobrás, a oposição ensaia colocar em prática um plano para minimizar os prejuízos políticos causados pela divulgação do acerto.

Oposição promete esmiuçar CPI após acordo de blindagem

A ideia, dizem, é não deixar a sensação de que a investigação terminará sem resultados concretos. Apesar de todos os partidos negarem ter participado do entendimento, os oposicionistas começaram a articular uma retomada na ofensiva da comissão. Na próxima semana, parlamentares do PSDB, PSB e PPS prometem vasculhar os documentos que já chegaram à CPI atrás de novas informações. O deputado Júlio Delgado (PSB-MG) afirma ter combinado esse esforço com os colegas Rubens Bueno (PPS-PR) e Izalci Lucas (PSDB-DF). O mineiro explica que, por causa da campanha, ainda não havia sido possível dedicar mais atenção aos papéis. Lula quer indicar a Dilma pelo menos três ministros - 08/11/2014 - Poder.

Desmatamento na Amazônia dispara em agosto e setembro - 07/11/2014 - Ambiente. Agora é oficial: o desmatamento na Amazônia disparou em agosto e setembro.

Desmatamento na Amazônia dispara em agosto e setembro - 07/11/2014 - Ambiente

Foram devastados 1.626 km² de florestas, um crescimento de 122% sobre os mesmos dois meses de 2013. O governo federal já conhecia esses dados antes do segundo turno da eleição presidencial, realizado no último dia 26. Adiou sua divulgação para não prejudicar a votação da presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição. São Paulo vai tratar esgoto para consumo. SÃO PAULO - O governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou nesta quarta-feira, 5, que a Grande São Paulo vai usar esgoto tratado na produção de água para consumo humano a partir de dezembro de 2015.

São Paulo vai tratar esgoto para consumo

Alternativa para reduzir a dependência do Sistema Cantareira, a medida vai resultar na produção de mais 3 mil litros de água por segundo, suficientes para abastecer 900 mil pessoas. Duas Estações de Produção de Água de Reúso (Epar) serão construídas. Elas farão o tratamento do esgoto para depois despejar a água na Represa do Guarapiranga, na zona sul da capital, e no Rio Cotia, em Barueri, na Grande São Paulo - ambos os mananciais são responsáveis pelo abastecimento de parte da população da região. O modelo é semelhante ao anunciado pela prefeitura de Campinas na semana passada. A água de reúso, embora não seja potável, tem 99% de pureza - desse modo, pode ser despejada nas represas. A outra Epar será instalada em Barueri e vai abastecer a Represa Isolina, formada pelo Rio Cotia. Avaliação. Para garantir fornecimento de energia, ONS começa a liberar água poupada nos reservatórios. RIO - O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) adotou mais uma medida na operação do sistema elétrico para garantir a normalidade do fornecimento de energia para o país enquanto as chuvas que começam a cair não elevam o nível dos reservatórios das usinas.

Para garantir fornecimento de energia, ONS começa a liberar água poupada nos reservatórios

O diretor-geral do ONS, Hermes Chipp, disse nesta sexta-feira que o órgão já começou a liberar parte da água que foi poupada nos reservatórios das usinas localizadas nas cabeceiras dos rios. — Neste período seco seguramos a energia nos reservatórios de cabeceira (dos rios), o que foi possível para justamente usar agora no fim do período seco, neste momento de transição para o período de chuvas, e quando a carga começa a crescer — explicou Chipp. Mas o diretor-geral do ONS voltou a garantir que não existe qualquer indício de ter que se adotar o racionamento de energia no próximo ano.

. — Ainda foi muito pouco nesta primeira semana. Está chovendo, mas previsão é favorável para as próximas semanas — destacou Chipp. Venezuela atua como se vivesse em 'estado de exceção', diz ONU. GENEBRA - A ONU acusa a polícia do governo de Nicolás Maduro de ter obrigado centenas de manifestantes presos durante os protestos desse ano a ficarem nus, ameaçados de serem estuprados e alerta: as autoridades mantêm leis e atitudes como se estivessem em "estado de exceção".

Venezuela atua como se vivesse em 'estado de exceção', diz ONU

No total, mais de 3 mil pessoas foram detidas durante os protestos no primeiro semestre do ano. A acusação foi feita durante a reunião que a ONU promove em Genebra para debater a situação de direitos humanos na Venezuela. Essa é a primeira vez que o encontro é realizado nos últimos dez anos com os representantes de Caracas. O governo de Maduro enviou uma ampla delegação para fazer sua defesa. A ONU alertou que está impedida de entrar na Venezuela. O que mais chama a atenção, segundo a ONU, é a repressão contra manifestantes e contra tendências políticas que divergem do governo. Exceção. Gaer também acusou "militares de estarem envolvidos no controle de manifestações". Subsídios do BNDES e seguro-desemprego serão cortados em 2015, afirma Mantega. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta sexta-feira, 7, que o governo vai reduzir em 2015 os subsídios financeiros nos empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Subsídios do BNDES e seguro-desemprego serão cortados em 2015, afirma Mantega

Mantega também mencionou cortes no auxílio-doença - hoje na casa dos R$ 70 bilhões - e na pensão por morte - no patamar de R$ 90 bilhões. As despesas com seguro-desemprego também deverão ser reduzidas, segundo o ministro. Para o ano que vem, quando não estará mais no cargo, Mantega disse que o resultado primário deverá fechar 2015 positivo de 2% a 2,5% na proporção do Produto Interno Bruto (PIB). Sobre outros cortes de gastos do governo, ele não quis das maiores detalhes, alegando que os estudos que vão viabilizar os cortes de despesas ainda não foram finalizados. "Assim que finalizarmos, anunciaremos para vocês", disse Mantega, após participar do Encontro Fiscal 2014 na FGV.

Sobre o fator previdenciário, ele disse que não está sendo discutido no Orçamento. Confusão. Sucessor. Produção industrial de setembro cai em seis dos 14 locais avaliados. Economia - Corte no orçamento em 2015 suspenderá duas pesquisas, diz IBGE. O orçamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), encaminhado pelo Ministério do Planejamento ao Congresso, sofreu um corte de R$ 562 milhões que seriam destinados à contagem da população 2016 e ao censo agropecuário 2015, informou o órgão nesta terça-feira (2).

Economia - Corte no orçamento em 2015 suspenderá duas pesquisas, diz IBGE

O valor pedido pelo IBGE para o Projeto de Lei Orçamentária Anual 2015 era de R$ 766 milhões. Os R$ 204 milhões que ainda estão previstos serão destinados a outras pesquisas conjunturais, como emprego, inflação e industrial, e à pesquisa de orçamento das famílias (POF). Para a realização da contagem da população, seriam necessários mais R$ 214 milhões, diz o instituto. Apesar de a coleta da contagem populacional estar prevista para 2016, já haveria, em 2015, o início dos testes e o censo experimental, informou o IBGE. IBGE nega pedido do governo para revisar dados sobre miséria. Ampliado às 14h43 Rio - O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmou ter recebido um pedido de esclarecimentos do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) a respeito da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) referente a 2013.

Os dados da pesquisa foram usados em uma análise do Instituto de Economia Aplicada (Ipea), que mostra um aumento no número de brasileiros que vive na extrema pobreza. Segundo o IBGE, os esclarecimentos já foram prestados ao ministério, mas não há nenhuma intenção de revisão de dados da pesquisa.

Opinião