background preloader

#NãoVaiTerCopa

Facebook Twitter

A Copa do Amarildaço. Por Rede Universidade Nômade Em 2013, o levante da multidão aconteceu no Brasil em meio à Copa das Confederações, evento preparatório para a Copa do Mundo da FIFA.

A Copa do Amarildaço

Deflagrado pelos protestos contra o aumento da tarifa do ônibus, o levante se acelerou e massificou com a visibilidade proporcionada pela Copa das Confederações. Warld Cup - Home. Unidade em pauta - Após escândalos da Fifa, é hora de consolidar nossa jovem democracia. Não vai ter protesto: evolução tática da repressão durante a Copa. Por Eduardo Tomazine.

Não vai ter protesto: evolução tática da repressão durante a Copa

De junho passado até o junho da Copa do Mundo o Estado brasileiro teve tempo e ocasiões suficientes para aprender a lidar com os protestos de rua que mudaram a conjuntura política do país. Aprenderam que os métodos até então convencionais de repressão às manifestações, como o uso indiscriminado de bombas de gás lacrimogêneo, spray de pimenta, balas de borracha, prisões por falsos flagrantes e outros expedientes do tipo não estavam sendo suficientemente eficazes para “pacificar” as ruas. Observando atentamente os meios empregados pelas forças de repressão contra os protestos em diversas cidades brasileiras após o início da Copa do Mundo, apreendemos as lições extraídas pelo Estado. Não, os meios coercitivos em si não estavam errados. Eram apenas dispostos de maneira equivocada, ou faltavam-lhes a intensidade e o momento adequados para que o objetivo fosse alcançado.

Oximity. Ou como comunicar, dialogar e mobilizar a partir dos interesses atuais do público A cena é a seguinte.

Oximity

Uma pessoa chega a uma festa, dá uma olhada e se interessa por outra. Interessa-se muito – “Nossa, que pessoa interessante. Eu preciso ficar com ela!”. Esta pessoa então se aproxima daquela que é seu “objeto de desejo” e, sem meias palavras, dispara: “Oi, vamos transar?”. Certamente a pessoa desejada foge, lhe dá um tapa, a ignora ou chama o segurança. Uma coisa é comunicarmos para militantes e politizados – compartilhar informações, encaminhamentos, ativar engajamento e, sobretudo, manter a galera motivada. A comunicação transformadora e mobilizadora deveria ser, antes de tudo, dialógica, criativa e persistente – mas não ansiosa. Cupidos e fermentos. Territorio FIFA: la ciudad neoliberal que indigna a los brasileños. Foto: Sato do Brasil En un rincón del Conjunto Habitacional Itaquera 1 de São Paulo, una señal de tráfico desconcierta a los viandantes.

Territorio FIFA: la ciudad neoliberal que indigna a los brasileños

En lo alto de un poste, una señal de prohibido airea dos palabras: Territorio FIFA. Debajo, un campo de fútbol de arena. Manifestantes fazem ato pacífico contra a Copa em Porto Alegre - Brasil - Estadão. PORTO ALEGRE - Manifestantes contrários à Copa do Mundo caminharam pelas ruas centrais de Porto Alegre gritando palavras de ordem contra o maior evento do futebol mundial nesta segunda-feira, 23.

Manifestantes fazem ato pacífico contra a Copa em Porto Alegre - Brasil - Estadão

Um destacamento da Brigada Militar acompanhou de perto o protesto, enquanto outros pelotões ficaram em ruas transversais. Desta vez não houve depredações como no dia da abertura da Copa, quando alguns dos 600 manifestantes, acompanhados de longe pela polícia, apedrejaram vidraças, derrubaram placas de sinalização de trânsito, viraram contêineres de lixo nas ruas e depredaram bancas de revistas. Convocado pelo Bloco de Luta pelo Transporte Público, o protesto desta segunda-feira reuniu menos gente do que o previsto. Dos 26 mil convidados, mil confirmaram presença e apenas 120 compareceram. AGREGA.LA. Esto tambien es mundial. #NÃOVAITERCOPA É MAIS. Midia NINJA. Dia 12 de junho foi a abertura da Copa do Mundo da Fifa no Brasil, a bola rolou nos gramados na vitória do Brasil de 3 a 1 sob a seleção da Croácia.

Midia NINJA

Mas fora do estádio diversos levantes foram realizados por movimentos de todos os cantos do país. No Rio de Janeiro, de madrugada, a pista da estrada para o aeroporto internacional do Galeão já estava bloqueada por movimentos de moradia em apoio á greve dos aeroviários que faziam uma operação tartaruga e trabalhavam apenas com 80% do efetivo total. Em Itaquera, São Paulo, o Movimento dos Trabalhadores sem Teto, na ocupação próxima ao estádio fazem a Copa do Povo, com futebol e pagode - embalando uma legítima festa popular em busca da conquista da casa própria. O Brasil põe em xeque a bolha do futebol. À espera de que a bola role e de que se veja se ela ainda serve de anestésico, a nomenklatura do futebol confronta com espasmos uma situação paradoxal: será precisamente no Brasil, seu viveiro mais feliz, onde a bolha irá se desinflar?

O Brasil põe em xeque a bolha do futebol

É possível que uma atração com 64 partidas e 736 jogadores não seja capaz de justificar o gasto em um país que sempre foi a graça do futebol por excelência? Pelo eco que chega no Brasil, a terra de Leônidas, Pelé e Ronaldo, a resposta é não. Em nome do futebol não vale tudo e, a dois dias de que suba o pano para esta vigésima Copa do Mundo, a FIFA e seu entorno político enfrentam uma oposição que já vai além do popular. A rua, onde se priorizam outras necessidades, protesta contra o esbanjamento, e até os patrocinadores elevam a voz, temerosos de que sua imagem se borre. Opinião - Não teve Copa - 10/06/2014. Vladimir Safatle Não teve Copa A ideia parecia perfeita.

Opinião - Não teve Copa - 10/06/2014

Depois de 12 anos de continuidade com programas importantes de transferência de renda, que levaram 32 milhões de brasileiros à classe média, o Brasil estaria em condições de mostrar ao mundo sua nova imagem. Trabalhadores em greve ameaçaram parar a França a dias da Copa de 1998 - Esportes - Estadão. 'Uma galera não entendeu o grito 'não vai ter Copa'', diz diretor de filme sobre protestos. RIO — Quase um ano após as manifestações tomarem as ruas do Rio, um coletivo de 12 diretores lança nesta quinta-feira nos cinemas o filme “Rio em chamas”.

'Uma galera não entendeu o grito 'não vai ter Copa'', diz diretor de filme sobre protestos

Montado com imagens dos protestos e outras, encenadas ou não, que mostram diálogos sobre a situação da cidade, o longa-metragem estreia próximo ao início da Copa do Mundo, um dos temas abordados no filme. Seus diretores são: Daniel Caetano, Eduardo Souza Lima, Vinícius Reis, Cavi Borges, Diego Felipe Souza, Luiz Claudio Lima, Ana Costa Ribeiro, Ricardo Rodrigues, Vítor Gracciano, Luiz Giban, Clara Linhart e André Sampaio. Daniel Caetano, que cuidou da produção e também é professor de Cinema da UFF, conversou com O GLOBO sobre a proposta. República Fora do Eixo: estratégia de apropriação dos movimentos autônomos. Documentos revelam as intenções por trás da “República Autônoma” proposta pela Fora do Eixo.

República Fora do Eixo: estratégia de apropriação dos movimentos autônomos

Por Passa Palavra Leia aqui tudo o que já publicamos sobre a empresa Fora do Eixo. Atualmente, o Fora do Eixo tem constituído e alavancado suas operações no Rio de Janeiro, principalmente com o suporte do seu braço comunicacional, a mídia NINJA. O clipe nao oficial da Copa do Mundo no Brasil – versao caseira faz sucesso na web. #15M, Rio de Janeiro 15.05.2014. ‘There Will Be No World Cup’: Brazil on the Brink. A República do Fora do Eixo. Ontem (13/05/2014) fui até a Praça da Cinelândia para o que eu acreditava ser uma pequena reunião de alguns coletivos para os quais apresentaríamos alguns resultados do Festival Internacional de Tecnoxamanismo.

Entre estes coletivos, era sabido a presença dos sofistas da atualidade, a rede de produtores culturais e comunicadores, Fora do Eixo. Quando cheguei ao local, tensa, percebi que estava presenciando algo muito maior do que uma mera reunião de trocas de conhecimentos. Superquinta em imagens: as principais cenas das manifestações desta quinta-feira. Trabalhadores aproveitam clima do #NãoVaiTerCopa para pressionar governo em ano eleitoral. Na semana seguinte ao barulho causado pelo Movimento dos Trabalhadores Sem-teto (MTST), mais categorias decidiram protestar ou entrar em greve para pressionar os governos federal e estaduais. Motoristas e cobradores convocaram uma paralisação de 48 horas no Rio de Janeiro, que começou hoje (13) e já prejudica a população. Funcionários da Companhia Paulista de Trens Metropolitano (CPTM), em São Paulo, também ameaçam cruzar os braços na quinta-feira (15) – o que pode comprometer o transporte de mais de dois milhões de passageiros.

Movimentos sociais e trabalhadores vão aproveitar o 15 de maio, chamado de "dia internacional de lutas contra a Copa", com atos organizados pelo Comitê Popular da Copa. O objetivo não é necessariamente protestar contra o Mundial, mas sim aproveitar o clima de #NãoVaiTerCopa para defender sua agenda. "Para os movimentos, não há momento melhor que este para protestar", analisa o cientista político Carlos Melo, do Insper, de São Paulo. Movimentos marcam protestos para 50 cidades no Brasil e no exterior. A menos de um mês do pontapé inicial da Copa do Mundo, movimentos sociais convocaram para esta quinta-feira (15/05) manifestações contra o Mundial em mais de 50 cidades do Brasil e do exterior. Além das marchas, os movimentos pretendem desde cedo fechar importantes vias e acessos das cidades, no que pode ser a retomada dos grandes protestos desde o fim da Copa das Confederações, no ano passado.

Os protestos foram batizados de “Manifestação das Manifestações”, em alusão ao bordão “Copa das Copas” utilizado pela presidente Dilma Rousseff. Eles foram convocados pelos Comitês Populares da Copa espalhados pelo país e a expectativa é de que tenham a adesão também de dezenas de grupos, como o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) e movimentos estudantis.

Bloqueio de vias nas cidades Em São Paulo e em outras cidades, os manifestantes vão começar as ações desde cedo, com o fechamento de algumas vias importantes, o que deverá causar grandes congestionamentos. Segurança em questão. #salasocial: Fotógrafos recriam figurinhas da Copa com imagens de desabrigados - BBC Brasil - Notícias. HQ: Meninas em Jogo. São Paulo: começa ocupação Copa do Povo. Em defesa da democracia e das liberdades.