background preloader

Projeto: LENDA POP FESTA DAS ÁGUAS

Facebook Twitter

Ideias e material para pesquisar.

A Cidade Perdida de Atlântida. A Atlantida e o Egito.

ÁGUA

Era de Aquário. Programa CLENILSON NA WEB - (Memória do dia 10/04/2012) - Radio e TV Nativus. ENSAIO LENDÓLOGICO: O MARACÁ. Projeto São Francisco. Estradas vicinais ameaçam igarapés da Amazônia. Projects. PORTELA 2017 - DESFILE COMPLETO. Tribo amazônica cria enciclopédia de medicina tradicional com 500 páginas - Meio Ambiente - Meio Ambiente. A Lenda Da Cobra Grande. Caprichoso 2012 - Curupira. Caprichoso 2010 - A Festa do Boto. Bototerapia no Domingão do Faustão - BOTOTERAPIA.

A disputa dos botos Tucuxi e Cor de Rosa. Sedutólogo metendo a real sobre as mulheres. Gente do Norte - VI Festival dos Botos e I Pirarucufest (parte 03) A disputa dos Botos Tucuxi e Cor de Rosa – Sairé. A lenda do boto da Amazônia encanta pessoas de diversas partes do mundo na festa do Sairé, realizada na vila de Alter do Chão.

A disputa dos Botos Tucuxi e Cor de Rosa – Sairé

Conta a lenda que um jovem e belo rapaz de vestes brancas e chapéu na cabeça seduz a mais bela cabloca ou cunhâ , como são chamadas as moças da região. A história é contada de uma forma muito alegre pelas associações dos botos Tucuxi e Cor de Rosa, com dança, teatro e música, compondo um belo espetáculo. Amapá, minha amada terra!!!: LENDAS DO AMAPÁ - A família do boto tucuxi. A cabocla estava doente, muito doente.

Amapá, minha amada terra!!!: LENDAS DO AMAPÁ - A família do boto tucuxi

Desde as primeiras semanas de gravidez ela já sabia que a criança em seu ventre corria o risco de não conhecer o mundo. Já havia tentado de tudo medicou-se com ervas e chás, mandou benzer e puxar a barriga e até mesmo tomou a beberagem que a mãe de santo lhe deu, sem perceber qualquer resultado. "É um caso perdido", diziam os moradores da Ilha de Santana, consternados com o sofrimento da mulher que se retorcia em dores terríveis. Mas sua dor maior estava na alma. Era a dor de estar perdendo a criança a cada dia que passava. Desde muito cedo ela também descobriu que seu filho não teria grandes chances de nascer. Porão do Castello: Tucuxi x Cor de Rosa - A Lenda dos Botos. Os Botos Cor de Rosa e Tucuxi disputaram neste sábado passado o 12° título de campeão do Festival do Çairé.

Porão do Castello: Tucuxi x Cor de Rosa - A Lenda dos Botos

Este ano a coordenação voltou a ser da prefeitura de Santarém (finalmente e olha que deixou a desejar #falomermo) pois nos últimos anos estava sob o comando da comunidade daquela vila (não se aborreçam mas é a prefeitura que tem que chamar pra si a responsabilidade). A disputa foi travada apenas em uma noite, cada Boto teve 1:45h para apresentação e 15 minutos para aquecimento, sendo que o Boto Tucuxi teve ao todo 1:55h e o Rosa teve 1:50h. Festival dos Botos. GRUPO CHEIRO DO PARÁ INTERPRETA "A LENDA DO BOTO" Tem Boto Na Rede do Tunico_x264.mp4. Sereias A lenda das Encantadas RPC Casos e Causos Parte 1.

O Boto (HD) - Série ''Juro que vi'' A Lenda da Iara. Iara. História do Folclore Brasileiro. A Lenda do Boto Cor de Rosa. A verdadeira Lenda do Boto. Filme As Seduções de um Boto. O Guardião Da Floresta. A LENDA DO CURUPIRA. Catalendas - O Boto. A lenda do BOTO cor de rosa. O Boto e o Homem. Sedução Hipnótica - A Linguagem Corporal. Filme - Ele, O Boto (1987) Boto: Da lenda à ciência, o encanto do príncipe das águas. A LENDA DO BOTO. A lenda do boto da Amazônia x. Botos do Çaire: Tradições, Lendas, Belezas e Encantos Naturais - Alter do Chão - Santarém - Pará - Amazônia - Brasil. Em 1997, com as inúmeras mudanças ocorrentes na Festa do Çairé, surgiu a idéia de dar notoriedade, também, no lado folclórico do evento, criando-se duas agremiações de competitividade dado a defasagem nas danças apresentadas no Çairé.

Botos do Çaire: Tradições, Lendas, Belezas e Encantos Naturais - Alter do Chão - Santarém - Pará - Amazônia - Brasil

Como a Lenda do Boto é autenticamente paraense, conhecida e difundida somente a partir do século XIX, já representada pelo Grupo Cheiro do Çairé no final da década de 80, foi aproveitada para esse fim. A inexistência ou desconhecimento dessa lenda nos séculos anteriores nos leva a crer que ela tem origem branca e mestiça, com projeção nas comunidades caboclas, que se difundiu por toda a Amazônia brasileira. O ano de 97 também foi marcado pela primeira apresentação de botos, sob a coordenação do Sr.

Mauro Luiz Lobato de Vasconcelos que apresentou um único grupo de cordão de botos. Em 1998, após sorteio ficou definido a criação das duas agremiações, ficando o Boto Cor de Rosa com o Sr. Botos Cor de Rosa e Tucuxi: magia que seduz. A 15ª edição do Festival dos Botos do Çairé este ano acontece apenas na noite de 21 de setembro, quando estarão em julgamento 15 quesitos: boto homem, boto animal, cabocla, rainha do Çairé, rainha do Lago Verde, rainha do Artesanato, apresentador, cantador, letra e música, carimbó, galera, organização do conjunto folclórico, ritual, curandeiro e alegorias.

Botos Cor de Rosa e Tucuxi: magia que seduz

A primeira apresentação do Cor de Rosa (boto encarnado) e Tucuxi (boto preto) no Çairódromo aconteceu em 1998, porém a disputa de títulos só começou no ano seguinte, 1999, e tem sido acirrada desde então. O Cor de Rosa venceu o festival nos anos de: 2001, 2002, 2003, 2005, 2007, 2008, 2009 e 2012; enquanto o Tucuxi foi campeão em: 1999, 2000, 2004, 2006, 2010 e 2011. Letras Kboing - letras.kboing.com.br. Levanta o astral Sacode a poiera É essência cabocla É festa cirandeira (bis) Quando a friagem chega Às terras de Manacá O coração das cunhãs Querem se entregar É tempo de vigília Não se deixe enganar É luar (bis) Boto Roso ou Tucuxi Ginga feito um rebojo No cio é faceiro Agarra feito um cauxi Seu abraço é um arrastão O olhar é um remanso O sorriso acalanto Seu beijo é paixão.

Letras Kboing - letras.kboing.com.br

Festa do Sairé. Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Festa do Sairé